SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Garoto autista é chamado de 'estranho' e irmã faz carta pedindo inclusão

"Eu gostaria que nós pudéssemos aprender sobre todos os distúrbios na escola. Assim, todo mundo entenderia que algumas pessoas são diferentes, mas devemos ser tratados como iguais", escreveu Lex, de apenas seis anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/10/2016 21:20 / atualizado em 24/10/2016 21:26

Fernando Jordão - Especial para o Correio /

 

 

Em pleno século XXI, com a tecnologia avançando velozmente, uma simples cartinha - suporte que quase já não é mais utilizado - emocionou o mundo. Nela, uma garota britânica de 6 anos pede que os distúrbios mentais sejam abordados na escola para que seu irmão, que tem autismo, pare de ser chamado de "estranho".

"Na segunda-feira, eu me senti muito triste, porque uma garota na minha sala disse que meu irmão era estranho. Meu irmão tem autismo e não é estranho. Eu gostaria que nós pudéssemos aprender sobre todos os distúrbios na escola. Assim, todo mundo entenderia que algumas pessoas são diferentes, mas devemos ser tratados como iguais", pediu a criança, identificada como Lex.

 

Leia mais notícias em Mundo

 

 

A carta foi postada no Facebook pela mãe de Lex, Sophie Camilleri. Na publicação, ela conta que a filha andava chateada desde que uma colega de escola chamou seu irmão de estranho. A criança ainda tentou explicar que ele era autista, mas a outra jovem não conhecia a doença. "Estou muito orgulhosa que Lex tenha essa visão e queira mudar a maneira como as crianças veem as outras com distúrbios. Ela tem apenas 6 anos e já é parte do conselho da escola, desejando fazer essa mudança", disse.

Até a noite desta segunda-feira (24/10), a publicação já havia recebido 25 mil reações e sido compartilhada quase 30 mil vezes. "Palavras amáveis de uma grande garota", comentou uma internauta. "Todos nós precisamos ouvir isso", opinou outra.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade