SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Presidente filipino quer a saída dos militares americanos de seu país

Nesta quarta-feira, o presidente filipino disse que não busca uma relação militar com a China

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2016 09:16

France Presse

Kazuhiro Nogi/AFP

Tóquio, Japão - O presidente filipino Rodrigo Duterte disse nesta quarta-feira (26/10) desejar a libertação de seu país da presença de militares americanos, durante um discurso em um fórum econômico em Tóquio. "Quero, talvez nos próximos dois anos, meu país livre da presença de militares estrangeiros", disse Duterte, em referência às forças americanas.

"Eu quero eles fora e se tiver que revisar ou anular acordos, acordos executivos, vou fazer isto", completou o presidente filipino, que desde que assumiu o poder não para de fazer declarações antiamericanas. Duterte desembarcou na terça-feira no Japão para uma visita de três dias, com o objetivo de fortalecer o comércio entre os dois países, que em 2015 alcançou 18 bilhões de dólares.

"Temos que preservar e reforçar nossos importantes vínculos econômicos com o Japão, primeiro sócio comercial das Filipinas", declarou Duterte no fórum econômico. Na semana passada, durante uma visita a Pequim, Duterte surpreendeu ao anunciar "a separação" de seu país dos Estados Unidos e uma aliança com a China.

Nesta quarta-feira, o presidente filipino disse que não busca uma relação militar com a China. "Na China, não falamos de armas, não falamos do deslocamento de tropas", disse Duterte. "Evitamos falar de alianças militares", concluiu.

Leia mais notícias em Mundo

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade