SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

WikiLeaks revela consternação na equipe de Hillary por escândalo de e-mails

Na mensagem -enviada a John Podesta, que na época fazia a campanha de Hillary- Tanden questionou por que a equipe da ex-secretária de Estado não havia resolvido o caso antes de se transformar em um escândalo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2016 16:11

France Presse

Washington, Estados Unidos -Novos e-mails vazados pelo WikiLeaks revelaram a consternação de uma assessora próxima à candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, com alguns de seus conselheiros pelo caso do uso de um servidor privado de mensagens eletrônicas.

Um dos e-mails revelados é uma mensagem de Neera Tanden, integrante da chamada 'equipe de transição' preparada pela campanha de Hillary Clinton, de 2 de março de 2015, o mesmo dia em que o jornal The New York Times revelou que Hillary havia usado um servidor privado de e-mail quando era secretária de Estado (2009-2013).

Na mensagem -enviada a John Podesta, que na época fazia a campanha de Hillary- Tanden questionou por que a equipe da ex-secretária de Estado não havia resolvido o caso antes de se transformar em um escândalo.

"Por que não se livraram disso há 18 meses? É uma loucura", escreveu Tanden a Podesta no dia 2 de março, após as revelações do jornal. "É inacreditável", respondeu Podesta.

Depois, Tanden tentou responder sua própria pergunta: "Acho que sei a resposta. Querem se salvar", escreveu.

Em outra mensagem, Tanden apontou que o escândalo "é como um calcanhar de Aquiles. O kriptonita".

O WikiLeaks também vazou o e-mail de Cheryl Mills, uma auxiliar de Hillary Clinton no Departamento de Estado, onde dizia: "Devemos limpar isso", em referência ao caso.

Essas mensagens reveladas pelo WikiLeaks fazem parte de um pacote de milhares de e-mails obtidos irregularmente da conta de Podesta.

A campanha da democrata não confirmou, nem negou a autenticidade dessas mensagens, mas ao mesmo tempo insiste que a Rússia está por trás da invasão da conta de e-mail de Podesta, para influenciar a eleição presidencial de 8 de novembro em favor do republicano Donald Trump.

Entre as mensagens divulgadas estão as que Tanden e Podesta discutem as fragilidades da candidatura da própria Hillary Clinton.

"Sua incapacidade para fazer uma entrevista de alcance nacional e comunicar sentimentos genuínos de remorso e arrependimento, temo, já se está transformando em um problema de personalidade", escreveu Tanden.

Podesta, entretanto, afirmou que campanha "fez muita água que será difícil bombear para fora do barco. Quase tudo está relacionado com decisões terríveis tomadas antes da campanha, mas muito também tem a ver com seu instinto".

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade