SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Líderes da Al-Qaeda no Afeganistão morrem após ataque de drones

Os drones dispararam vários mísseis contra cada alvo, no que é considerada "a operação mais importante contra a Al-Qaeda em muitos anos", disse uma fonte americana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2016 11:41 / atualizado em 27/10/2016 11:49

France Presse

Cabul, Afeganistão - Dois integrantes de alto escalão da Al-Qaeda no Afeganistão morreram no domingo em um ataque de drones americanos, um golpe duro contra o grupo extremista no país, confirmou em Cabul a Direção Nacional de Segurança (NDS) afegã. "Faruq al-Qahtani, Bilal al-Utabi e um terceiro membro do grupo morreram em um ataque da coalizão na província de Kunar", afirma um comunicado da NDS.

Poucas horas antes, fontes americanas haviam anunciado um ataque na província de Kunar, limítrofe com o Paquistão, contra Faruk al-Qatani, o emir da Al-Qaeda para o nordeste do Afeganistão, e seu vice, Bilal al-Utabi. Mas os militares americanos não tinham como confirmar a morte dos dois dirigentes, considerados "número 1 e número 2 ou 3" da Al-Qaeda no Afeganistão. Os drones dispararam vários mísseis contra cada alvo, no que é considerada "a operação mais importante contra a Al-Qaeda em muitos anos", disse uma fonte americana.

"Eles são os líderes mais importantes da Al-Qaeda no Afeganistão. Sua morte representaria um sério revés para o grupo terrorista" no Afeganistão, disse Peter Cool, do serviço de imprensa do Pentágono. A Al-Qaeda segue "determinada a realizar ataques contra os Estados Unidos e seus aliados e sócios", acrescentou Cook. Os Estados Unidos perseguem Qatani, próximo a Osama Bin Laden, há vários anos, disse Cook.

Qatani teria organizado o financiamento e a preparação de ataques contra as forças da coalizão no Afeganistão, assim como no sudeste da Ásia e no Ocidente. "Al Utabi foi quem organizou tudo para converter o Afeganistão em uma retaguarda segura a partir de onde ameaçaria o Ocidente e que supervisiona o recrutamento e o treinamento dos combatentes estrangeiros", acrescentou Peter Cook. A morte dos dois dirigentes "dificultará as conspirações contra os Estados Unidos e nossos aliados", insistiu. Qatani havia sido localizado em 2012, mas o ataque para eliminá-lo foi cancelado no último minuto devido ao risco de que fossem registradas vítimas civis. No domingo, Qatani e seu assistente estavam na localidade de Hilgal, em Kunar, distrito de Ghazi Abad, disseram oficiais do Pentágono.

Estavam em dois edifícios separados por algumas centenas de metros, mas foram atacados quase simultaneamente com múltiplos drones. Ao menos 15 insurgentes morreram, incluindo dois árabes e vários combatentes talibãs paquistaneses, disse o porta-voz provincial, Abdul Ghani Mosamem, à AFP. Desde fevereiro, o Tesouro dos Estados Unidos designa Qatani, também chamado de Nayf Salam Muhammad Ujaym al-Hababi, como "terrorista". Qatani, de nacionalidade catariana, que teria nascido na Arábia Saudita entre 1979 e 1981, estava ativo no Afeganistão ao menos desde 2009.

Leia mais notícias em Mundo

A partir de 2012, Qatani enviou vários suicidas contra bases das forças militares afegãs e comboios da coalizão ocidental, indicaram fontes do Pentágono. Documentos encontrados na casa de Bin Laden, assassinado por um comando americano no dia 2 de maio de 2011 em Abbottabad, Paquistão, revelaram a importância que Qattani tinha na Al-Qaeda, indicaram as fontes. Após os atentados de 11 de setembro de 2001, os Estados Unidos lançaram uma vasta operação contra os talibãs e a Al-Qaeda.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade