SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

UE começa a formar guarda-costas líbios para lutar contra traficantes

Um primeiro grupo de 78 guarda-costas se formará a bordo de dois buques da UE situados em águas internacionais em frente ao litoral da Líbia, segundo um comunicado da UE

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2016 13:31

France Presse

Bruxelas, Bélgica - A União Europeia anunciou nesta quinta-feira (27/10) o início de sua missão de formação de guarda-costas líbios, no contexto de sua operação naval Sofia contra os traficantes de seres humanos executada na costas líbia. "Hoje começamos a formação dos guarda-costas líbios (...), uma etapa muito importante", ressaltou a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, à sua chegada a uma reunião de chanceleres da Otan em Bruxelas.

Um primeiro grupo de 78 guarda-costas se formará a bordo de dois buques da UE situados em águas internacionais em frente ao litoral da Líbia, segundo um comunicado da UE. O comando dessa operação naval europeia defendia o início efetivo dessa missão de formação há um mês, mas o governo líbio de unidade nacional só transmitiu no início de outubro uma lista com os candidatos.

A operação Sofia permitiu a detenção de 96 traficantes de seres humanos e a neutralização de 337 embarcações desde outubro desse mesmo ano. A missão europeia permitiu salvar "mais de 29.300 vidas em cerca de 200 operações de resgate", um número que aumenta para 41.200 migrantes se forem consideradas as operações das ONGs que a Sofia apoia, informou o comunicado.

Leia mais notícias em Mundo

De acordo com as Nações Unidas, "pelo menos 3.800 pessoas" morreram ou desapareceram no mar Mediterrâneo desde o começo do ano, um novo recorde histórico. A Aliança Atlântica, que já apoia a UE em sua gestão da crise migratória, se comprometeu a aumentar seu apoio logístico e de informação à operação Sofia.

No marco dessa missão de apoio batizada "Guardião do Mar", Itália e Espanha se comprometeram a fornecer meios aéreos, enquanto Grécia e Turquia contribuirão com barcos "a partir de 7 de novembro", afirmou o secretário geral da Otan, Jens Stoltenberg.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade