SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estado Islâmico celebra vitória de Trump nas redes sociais

Antes da eleição, grupo extremista, perseguido no Iraque e na Síria por uma coalizão internacional liderada pelos EUA, tinha considerado não haver diferença real entre o bilionário populista e Hillary Clinton

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/11/2016 06:00 / atualizado em 11/11/2016 01:37

Ahmad Gharabli/AFP


Extremistas do Estado Islâmico (EI) e simpatizantes do grupo terrorista comemoraram nessa quinta-feira (10/11) nas redes sociais a eleição do republicano Donald Trump. Não houve manifestação oficial, mas, no aplicativo de mensagem instantânea criptografada Telegram, os jihadistas elencaram as vantagens da vitória do bilionário, abertamente hostil ao mundo muçulmano, contra a democrata Hillary Cllinton. “Alegrem-se, ele irá mostrar a cara feia da América”, destacou um usuário, num fórum de discussão on-line. Em resposta, outro frisou: “A vulgaridade de Trump vai constranger os tiranos árabes e expandir o campo da jihad”.

Antes da eleição, o Estado Islâmico, perseguido no Iraque e na Síria por uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, tinha considerado não haver diferença real entre o bilionário populista e a rival. Mas, depois de avaliarem o resultado, partidários da organização passaram a acreditar que Trump na Casa Branca será, na verdade, um ponto a favor dos islâmicos. “A vitória de Trump é uma boa coisa para a nação muçulmana”, entusiasmou-se um extremista, antes de explicar: “Eu estou otimista (...), porque ele é um touro estúpido, arrogante e presunçoso e é mais besta que (George) Bush”.

Leia mais notícias de Mundo

Houve quem discordasse da iniciativa de celebrar a vitória de qualquer candidato para uma eleição “politeísta”. “Ambos são tiranos, e nós só queremos cortar suas cabeças”, disse um deles. O debate também deu voz a jihadistas que anseiam por um desentendimento entre os próprios americanos. “Louvado seja Deus, que ele aumente essa reação”, pregou um usuário, em resposta a um vídeo mostrando opositores de Trump agredindo um de seus partidários. 

 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade