SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Policial inicia viagem a nado da África ao Nordeste do Brasil

Para conseguir a façanha, Hooper terá que nadar até março de 2017 e, entre as grandes dificuldades encontradas, estão os temidos tubarões do Oceano Atlântico

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2016 20:47

Diário de Pernambuco

Island Breeze Photography/Reprodução
 
 
O policial aposentado britânico Ben Hooper começou no sábado, dia 5 de novembro de 2016, o sonho de ser o primeiro humano a atravessar um oceano a nado. Aos 38 anos, ele deixou a costa de Dakar, no Senegal, para seguir nadando até Natal, no Rio Grande do Norte, ao longo de doze horas diárias – cobrindo um total de 3,6 mil km. Ele está sendo acompanhado por dois barcos, onde ele poderá dormir e fazer refeições para compensar a perda estimada de 12 mil calorias diárias.

Para conseguir a façanha, Hooper terá que nadar até março de 2017 e, entre as grandes dificuldades encontradas, estão os temidos tubarões do Oceano Atlântico. Por isso, ele utilizará um traje especial cuja função seria o de torná-lo “invisível” aos olhos desses animais, com a emissão de pulsos de alta frequência que os espantariam, além de repelentes químicos.
  
 
“Sou ambientalista e fico feliz que a população de tubarões esteja crescendo, mas sendo uma pessoa que nadará no território deles, isso me incomoda também”, alegou o homem ao Daily Mail, acrescentando ter certeza que é impossível completar a missão sem encontrar nenhum deses animais.
 
Island Breeze Photography/Reprodução
 
 
Até hoje, apenas uma outra pessoa, o francês Benoît Lecomte oficialmente tentou atravessar o oceano, mas fracassou. A jornada de Hooper será acompanhada por médicos e por uma equipe de documentaristas, que já levantou a história de como ele quase se afogou no mar quando tinha cinco anos e por isso virou um nadador de mar aberto quando adulto. A ideia é ter todas as provas necessárias para fazer o britânico entrar no Livro dos Recordes.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade