SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Número de mortos em acidente de trem na Índia chega a 146

"O balanço atual continuará subindo e será difícil identificar todas as pessoas, sobretudo os corpos que estão em estado muito ruim", disse à AFP uma fonte do governo local

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2016 13:48


Pukhr%u0101y%u0101n, Índia - O número de mortos no acidente de trem de domingo na Índia subiu para 146, depois que as equipes de emergência encontraram nove corpos dentro dos vagões, e as autoridades temem um balanço ainda mais grave.

Os voluntários têm poucas esperanças de encontrar sobreviventes entre as ferragens dos 14 vagões do trem que descarrilou na madrugada de domingo no estado de Uttar Pradesh, norte da Índia.

"O balanço atual continuará subindo e será difícil identificar todas as pessoas, sobretudo os corpos que estão em estado muito ruim", disse à AFP uma fonte do governo local.

"Não temos um número exato de feridos no momento. As operações de resgate continuam", disse à AFP o chefe de polícia Zaki Ahmad.

Leia mais notícias em Mundo


As autoridades calculam que mais de 2.000 pessoas estavam no trem, mas como muitos passageiros viajam na Índia sem lugares reservados ou até mesmo sem passagens é impossível saber o número exato.

Uma multidão se reuniu nesta segunda-feira diante do trem descarrilado, examinando objetos e roupas com a esperança de descobrir o destino de seus parentes.

A catástrofe aconteceu em plena temporada de casamentos no país e o trem transportava muitas famílias.

De acordo com os primeiros elementos da investigação, o descarrilamento pode ter sido provocado pela má conservação da via férrea.

A rede ferroviária indiana, uma das maiores do mundo, tem grandes falhas de segurança, mas continua sendo o principal meio de transporte e permite percorrer grandes distâncias neste vasto país.

De acordo com um relatório do governo de 2012, quase 15.000 pessoas morrem a cada ano em acidentes ferroviários, o que foi chamado de "massacre" pelos autores do documento.

Por France Presse

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade