SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Presidentes latino-americanos lamentam a morte de Fidel

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que Fidel partiu para a "imortalidade"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/11/2016 08:42 / atualizado em 26/11/2016 08:46

AFP / Juan BARRETO
 
Presidentes latino-americanos, entre eles os da Venezuela, México e Equador, lamentaram a morte do líder cubano Fidel Castro, que faleceu na sexta-feira (25/11), aos 90 anos.

- Maduro: é preciso seguir com seu legado

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que Fidel Castro partiu para a "imortalidade" e afirmou que aos revolucionários de todo o mundo corresponde "seguir com seu  legado".

"A tod@s @s Revolucionári@s do Mundo corresponde seguir com seu Legado e sua Bandeira de Independência, de Socialismo, de Pátria Humana", escreveu Maduro no Twitter, destacando a estreita aliança forjada por Castro e o falecido presidente venezuelano Hugo Chávez.

- Peña Nieto: foi um amigo

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, lamentou a morte do pai da revolução cubana, destacando que Fidel foi um "amigo de seu país".

"Fidel Castro foi um amigo do México, promotor de uma relação bilateral baseada no respeito, no diálogo e na solidariedade", escreveu no Twitter.

- Correa: partiu um grande amigo

O presidente do Equador, Rafael Correa, destacou que "se foi um grande".

"Se foi um grande. Morreu Fidel. Viva Cuba! Viva América Latina!", escreveu Correa, também no Twitter.

- Sánchez Cerén: Profunda dor 

O presidente salvadorenho, o ex-comandante guerrilheiro  Salvador Sánchez Cerén, declarou-se muito triste com a morte de Fidel.

"Com profunda dor, recebemos a notícias do falecimento de um querido amigo e eterno companheiro, comandante Fidel Castro", escreveu Sánchez Cerén no  Twitter.

Por France Presse.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade