SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Cresce escândalo de pedofilia no futebol inglês

Acusações atingem principalmente o treinador Barry Bennel, ex-técnico do Manchester City

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/12/2016 12:51 / atualizado em 01/12/2016 13:54

Oli Scarff/AFP - 05/11/2016
 

Londres, Reino Unido - Desde que o presidente da Federação descreveu a situação como a pior crise do futebol inglês, o escândalo dos abusos sexuais contra jovens jogadores não parou de crescer e já ameaça os grandes clubes.

A polícia anunciou nesta quinta-feira que 350 pessoas denunciaram ter sofrido abusos sexuais em clubes de futebol britânicos quando eram crianças, depois do testemunho de um antigo profissional que trouxe o problema à tona.

"Trabalhamos estreitamente com a Federação de Futebol (FA) em resposta a este número significativo e crescente de vítimas, em todos os níveis do futebol", afirmou o chefe da polícia, Simon Baley. Uma linha telefônica criada para aqueles que foram abusados quando crianças por treinadores, olheiros e outros funcionários de clubes recebeu 50 ligações nas duas primeiras horas e 860 em sua primeira semana, anunciou a Sociedade para a Prevenção da Crueldade contra as Crianças (NSPCC), que a administra.

 

Trata-se de um número três vezes superior em comparação com as chamadas recebidas no maior escândalo de pedofilia que o país se lembra, o de Jimmy Savile, o apresentador da BBC já falecido que abusou de centenas de menores em todos os lugares imagináveis, incluindo em atos beneficentes em hospitais.

Um antigo profissional chamado Andy Woodward, que jogou pelo Sheffield United, trouxe este assunto à tona ao explicar os abusos cometidos contra ele por Barry Bennell, ex-técnico das categorias de base do Manchester City, do Crewe Alexandra e Stoke City.

"Vimos o caso de Jimmy Savile e a coragem das pessoas (ao denunciá-lo). É muito mais difícil denunciar no mundo do futebol. É agora, aos 43 anos, que sinto que posso viver sem este segredo e esta carga enorme, horrível. Quero tirar isso de mim e dar a oportunidade para que outros façam o mesmo", disse Woodward ao The Guardian.

Seu desejo foi cumprido, e mais de 20 antigos pupilos de Bennell procuraram a polícia. Na terça-feira, as primeiras investigações deram frutos e o ex-treinador foi indiciado pelo estupro de um menor de 14 anos.

Este ex-treinador de 62 anos já cumpriu três pe

nas de prisão por abusos sexuais contra menores, e agora volta a ficar nas mãos da polícia. O último a se pronunciar, nesta quinta-feira, foi David Eatock, de 40 anos, ex-jogador do Newcastle, que disse ter sido vítima de George Ormond, um respeitado treinador de categorias de base condenado a 6 anos de prisão em 2002 por crimes deste tipo.

Para Eatock, estamos diante da ponta do iceberg: "há muitos outros que não telefonaram" para a linha voltada às vítimas, disse na BBC. Três clubes da Premier League foram citados no escândalo: o Chelsea, o Manchester City e o Stoke City. Assim como outros clubes históricos, como o Crewe Alexandra, o Newcastle, o Leeds United, o Blackpool, o Peterborough United e o Cambridge United.

O Chelsea anunciou na quarta-feira que contratou um escritório de advocacia para que investigue se um de seus funcionários nos anos 1970, hoje falecido, abusou sexualmente de jogadores jovens, depois que a imprensa revelou a existência de um acordo econômico substancial para que não fossem julgadas as acusações contra um antigo olheiro do clube, Eddie Heath, que trabalhou ali de 1968 a 1979.

Nesta quinta-feira, o The Times afirmou que um ex-jogador de categorias inferiores pede uma indenização milionária ao Manchester City alegando que os absuso destruíram sua carreira.

 

Por France Presse

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade