Homem mata idoso, filma o crime e publica no Facebook

Steven Stephens alega ter matado mais 14 pessoas, mas a polícia norte-americana só confirma a morte do senhor de 74 anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/04/2017 15:22 / atualizado em 17/04/2017 15:50

Reprodução/Facebook
Steve Stephens, de 37 anos, é procurado pela polícia de Cleveland, nos Estados Unidos, após ter publicado no Facebook um vídeo em que mata a tiros um idoso. O crime ocorreu por volta de 14h (horário local) do domingo de Páscoa. As autoridades confirmam que o vídeo é real. As imagens ficaram no perfil de Stephens por três horas.

Stephens dirige até encontrar a vítima, sai do carro, troca poucas palavras com o idoso e atira. Em publicações na rede social, ele escreveu que “fez besteira” e colocou a culpa em uma mulher, Joy Lane, que as autoridades acreditam ser a ex-companheira do criminoso. Ele afirmou que só pararia se ela ou a mãe dele ligassem.
 

Em outro vídeo, publicado minutos depois, Stephens alega ter matado mais 14 pessoas, mas até agora a polícia só confirmou uma das mortes.

No início das buscas, a polícia de Cleveland conseguiu fazer contato com Stephens por telefone, mas ele não concordou em se entregar. O atirador trabalhava como gestor de cuidados de saúde mental. Em um dos textos que publicou no Facebook antes do crime, desabafou que a vida foi difícil para ele no último ano e culpou também dois cassinos da cidade. Ele não tinha antecedentes criminais. 
  
Em mensagem para a rede de notícias americana CBS, Joy Lane afirmou que esteve em um relacionamento com Stephens por vários anos e que ele era “carinhoso e amável” com ela e os filhos. A mãe de Stephens, Maggie Green, contou que o filho ligou para ela no sábado — um dia antes do crime — e disse que se ela o visse de novo seria um milagre.

A vítima é Robert Godwin, de 74 anos. No vídeo, ele carregava uma sacola de compras. A família de Godwin afirmou que ele fazia um passeio e que era uma pessoa gentil. 
 
Reprodução/Facebook
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
wirley
wirley - 21 de Abril às 17:21
Carência é o mal do mundo ! Lamentável