Chelsea Manning, que vazou documentos ao WikiLeaks, sai da prisão

A militar transgênero havia sido sentenciada a 35 anos de prisão, mas foi libertada graças a idulto concedido por Barack Obama antes de passar o posto para Trump

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/05/2017 09:14 / atualizado em 17/05/2017 09:39

Fort Leavenworth, Estados Unidos - Chelsea Manning, a militar transgênero que estava na prisão por um dos maiores vazamentos de documentos confidenciais da história dos Estados Unidos, foi libertada nesta quarta-feira, informou à AFP uma porta-voz militar.


Leia mais notícias em Mundo

 

Manning, de 29 anos, "foi libertada do Quartel Disciplinar dos Estados Unidos" em Fort Leavenworth, Kansas, disse a porta-voz Cynthia Smith em uma breve declaração. Depois de receber uma sentença de 35 anos de prisão por este vazamento, foi libertada após sete anos graças a um indulto concedido pelo presidente Barack Obama antes de deixar o comando.

 

Em julho de 2010, Manning - na época um soldado conhecido como Bradley Manning - foi preso pela divulgação, através do WikiLeaks, de um enorme tesouro de mais de 700.000 documentos militares e diplomáticos americanos classificados.

 

Seus advogados conseguiram autorização para que iniciasse na prisão um tratamento hormonal para transitar para sua identidade feminina.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.