Argentina diz que acordo entre UE e Mercosul não pode mais ser adiado

Segundo o chefe de gabinete do governo argentino, a integração global é a melhor maneira de combater pobreza e desigualdade

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/06/2017 19:15

O chefe de gabinete do governo da Argentina, Marcos Peña, pediu nesta sexta-feira (2) em Buenos Aires, durante o encerramento do fórum "Argentina - União Europeia", que o acordo comercial entre o bloco europeu e o Mercosul não seja mais adiado, já que é "vital" para a defesa dos valores que unem ambos os blocos. A informação é da agência EFE.


Peña assegurou que a integração global é a melhor maneira de combater problemas como a pobreza e a desigualdade. "Em um mundo complexo, fortalecer essa relação é vital, não só pela integração econômica, mas também pela defesa dos valores que nos unem: a democracia, a economia integrada e os direitos humanos", declarou o chefe dos ministros da Argentina, que assegurou que a chegada desse acordo passa por uma decisão "política".

Para o dirigente, as conversas entre a União Europeia (UE) e o Mercosul avançam graças ao impulso da Argentina desde a posse de Mauricio Macri como presidente em dezembro de 2015, que fez da “abertura ao mundo” uma política de Estado.

Ele lembrou que o seu país recebeu, desde 2016, mais visitas de governantes estrangeiros que no acumulado dos últimos anos, numa mostra, segundo disse, da vocação de assumir um protagonismo exterior e da confiança que os demais países depositaram no novo rumo da Argentina.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.