Representante dos EUA na ONU se compromete a defender Israel

'A ONU brutaliza Israel há muito tempo', disse Nikki Haley em um encontro com o presidente Reuven Rivlin

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/06/2017 10:23 / atualizado em 07/06/2017 11:01

AFP / GALI TIBBON


Jerusalém - A representante dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, manifestou apoio a Israel e evocou nesta quarta-feira um "novo dia" para o país nas Nações Unidas, durante encontros com líderes israelenses em Jerusalém. Os Estados Unidos ameaçaram nos últimos meses retirar-se do Conselho de Direitos Humanos da ONU, com sede em Genebra, organismo acusado pelos americanos de ser muito crítico a Israel.

"A ONU brutaliza Israel há muito tempo", disse Haley em um encontro com o presidente Reuven Rivlin, garantindo que fará o necessário para que esse cenário não continue, de acordo com um comunicado da presidência israelense. "É um novo dia para Israel na ONU (...). Esperemos que também seja um novo dia para o Conselho de Direitos Humanos quanto ao que se refere a Israel", acrescenta o comunicado.

Rivlin agradeceu por seu apoio que, de acordo com ele, marca "uma nova era". Israel já não está sozinho na ONU. Israel não é mais o saco de pancadas da ONU", acrescentou o presidente. Por sua parte, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que também recebeu Haley, agradeceu-lhe a "ajuda e apoio a Israel, juntamente com a verdade", segundo um comunicado de seu escritório.

Washington denuncia há anos o fato de Israel ser o único país com um ponto fixo na agenda de cada reunião do Conselho (três vezes por ano), o ponto 7 chamado "A situação na Palestina e nos outros territórios árabes ocupados".
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.