Ex-prisioneiro norte-americano diz que medidas de Trump podem ser negativas

Alan Gross foi condenado pelo regime castrista pelo crime de espionagem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/06/2017 20:24 / atualizado em 17/06/2017 20:40

AFP PHOTO / SAUL LOEB


O contratista Alan P. Gross, que se tornou um dos mais notórios presos políticos norte-americanos em Cuba, acredita que as medidas anunciadas pelo presidente norte-americano, Donald Trump, na sexta-feira, ao reverter as principais medidas de reaproximação com Havana, podem surtir efeito negativo sobre a população cubana. Funcionário da Agência Americana de Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID), Gross foi condenado pelo regime castrista pelo crime de espionagem e ficou preso na ilha entre 2009 e 2014. Foi libertado pelas autoridades em 18 de dezembro de 2014, mesmo dia em Barack Obama e Raúl Castro anunciaram a normalização das relações entre os países. Gross concedeu entrevista exclusiva ao Correio. 

Como o senhor viu o endurecimento da retórica dos EUA em relação a Cuba, por parte do presidente Trump, e a reversão de políticas implementadas pelo governo Obama?

Isso é nada mais do que um exercício de futilidade. A bravura do senhor Trump é uma reminiscência de quase 60 anos de políticas fracassadas dos EUA para Cuba. O governo cubano não gritou, ante a pressão dos EUA, durante esse período. O que faz o senhor Trump pensar que terá como resultado algo diferente? Infelizmente, o povo cubano estará em risco maior, bem como alguns empregos de norte-americanos em indústrias que têm permissão para negociar com Cuba. 

Na condição de ex-prisioneiro do regime cubano, como vê o fato de que Trump denunciou o caráter brutal do governo castrista?

O senhor Trump não é nenhum cientista de foguetes. Qualquer observador objetivo facilmente reconhecerá a natureza corrupta e brutal do regime cubano. 

Trump disse que o governo Obama apenas enriqueceu o regime de Cuba. O senhor concorda com isso?

De modo nenhum. O governo cubano está com dívidas por incompetência e corrupção. As políticas dos EUA ajudaram enormemente sob o governo Obama, cujas políticas foram fortemente correlacionadas com um aumento do emprego no setor privado em Cuba, que compreendo ser cerca de 25% da força de trabalho cubana. Isso é um incrível desenvolvimento, porque aqueles que trabalham no setor privado estão ganhando mais do que renda média nacional mensal de US$ 23. Esses trabalhadores não mais dependem do governo cubano para sua subsistência. Não é um resultado desejável? Há uma evidência importante de que os cubanos se beneficiaram das políticas de Obama e serão prejudicados pelas novas e antigas políticas de Trump. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.