Atentado reivindicado pelo EI no Sinai matou 21 soldados egípcios

De acordo com membros da polícia e autoridades provinciais, os corpos de 21 soldados foram transferidos neste sábado para 11 províncias para serem enterrados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/07/2017 12:46

O atentado realizado na sexta-feira no Sinai egípcio e reivindicado pela facção local do grupo Estado Islâmico (EI) matou pelo menos 21 soldados, segundo um novo balanço fornecido neste sábado pelas autoridades.
 

De acordo com membros da polícia e autoridades provinciais, os corpos de 21 soldados foram transferidos neste sábado para 11 províncias para serem enterrados.

A facção egípcia do EI, o grupo "Província do Sinai", reivindicou a responsabilidade pelo ataque de sexta à noite, afirmando que "soldados do califado" atacaram uma posição do exército ao sul da cidade de Rafah, perto da fronteira com a Faixa de Gaza palestina.

O exército declarou que agiu contra um ataque "terrorista" cometido por combatentes extremistas, matando cerca de quarenta terroristas em vários postos de controle. Inicialmente, o Egito havia relatado 26 soldados mortos ou feridos.

Desde que o exército depôs, em 2013, o presidente islamita Mohamed Mursi, membro da Irmandade Muçulmana, muitos grupos jihadistas, entre os quais o "Província do Sinai", multiplicam os ataques contra militares e policiais.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.