Novos protestos prometem levar 100 mil pessoas às ruas de Hamburgo

Autoridades pedem, aos que puderem evitar, que não saiam de casa neste sábado, a fim de que mais pessoas acabem feridas pela ação dos Black blocks; na sexta-feira, foram contabilizados, ao menos, 200 feridos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/07/2017 13:18

Christophe Gateau/dpa/AFP

 
Os moradores de Hamburgo, cidade localizada a 288km de Berlim, capital da Alemanha, estão aterrorizados com as violentas manifestações na cidade, por conta da reunião do G-20, grupo que inclui as maiores potências econômicas do mundo. Ao menos 200 pessoas ficaram feridas nos protestos, em sua maioria policiais. O movimento foi invadido por pessoas mascaradas, os chamados Black blocks, que aterrorizaram a vida dos alemães e promete mais caos para este sábado (8/7). 
 
 
Ator e cantor brasileiro, Benet Monteiro mora em Hamburgo e relata que a maioria dos moradores da cidade está em pânico com a violência. Segundo ele, não há um toque de recolher, mas o governo já recomendou que só saia de casa quem realmente não puder evitar. Caso contrário, o melhor é não ir às ruas, uma vez que a ação dos vândalos pode acabar ferindo mais pessoas. “Estou em Munique este fim de semana, a trabalho, mas todos meus amigos que também estão fazendo musicais tiveram os shows cancelados, exatamente por essa orientação de não sair de casa. Está todo mundo com muito medo, porque a situação é realmente séria”, disse Benet. 
 
Está programada para este sábado (8/8) uma grande manifestação, que promete levar cerca de 100 mil pessoas às ruas mais uma vez. “Não sabemos se esses grupos de mascarados vão estar presentes nesses protestos de hoje, então, muitos ficam apreensivos de comparecer à manifestação”, explica Monteiro. 
 
A presença dos líderes russo e norte-americano, Vladmir Putin e Donald Trump, respectivamente, é uma das principais causas das reivindicações. A saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris, tratado que visa diminuir os impactos das mudanças climáticas no mundo, não foi recebida com bons olhos pelos outros países integrantes do grupo. 
 
Essa semana, os vândalos queimaram carros, destruíram patrimônios públicos, lançaram pedras contra veículos, e feriram cerca de 200 pessoas. Em contrapartida, os policiais usaram sprays de pimenta e jatos d’água para conter os arruaceiros.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.