Filho de Trump divulga e-mails para explicar reunião com advogada russa

O encontro entre Donald Trump Jr. e uma advogada russa durante a campanha presidencial alimenta as especulações sobre a interferência da Russia nas eleições americanas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 14:10

Donald Trump Jr., filho mais velho do presidente americano, divulgou nesta terça-feira (11/7) os e-mails que mostram sua disposição de se reunir com uma advogada russa para obter informações comprometedoras sobre Hillary Clinton, candidata democrata na eleição presidencial de 2016.
 
 
Em uma das mensagens, Trump Jr. escreve que "adoraria" receber a informação. O encontro aconteceu em junho do ano passado, em Nova York.

Em junho de 2016, cinco meses antes da eleição que seria em 8 de novembro, Trump Jr. se encontrou em Nova York com a advogada russa Natalia Veselnitskaya. Segundo uma pessoa próxima aos dois, ela teria informações embaraçosas sobre a ex-secretária de Estado.

O interlocutor do e-mail em questão, Rob Goldstone, escreveu a Trump Jr. em 3 de junho para lhe dizer que pessoas na Rússia dispunham de "documentos oficiais e informações que poderiam comprometer" a candidata democrata e que isso seria "muito útil" ao seu pai.


Inicialmente, o empresário pretendia agendar uma reunião por telefone, mas Goldstone sugeriu um encontro com o empresário russo Emin Agalarov.

Finalmente, em 9 de junho, Trump Jr. se encontrou com a advogada russa em um escritório da Trump Tower em Nova York.

Também participaram do encontro o empresário Jared Kushner - casado com a filha mais velha de Trump, Ivanka, e hoje assessor direto do presidente na Casa Branca - e o então diretor de campanha do candidato republicano, Paul Manafort.

Em declaração publicada nesta terça-feira no Twitter, Trump Jr. afirmou que a advogada "não tinha informação a oferecer e queria falar sobre a política de adoção" de crianças russas por famílias americanas.

As circunstâncias sobre esta reunião foram reveladas no final de semana pelo jornal The New York Times.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.