Familiares de ex-ministro de Maduro serão denunciados por caso Odebrecht

De acordo com a delação de Marcelo Odebrecht, a Venezuela foi o segundo país da América Latina que mais recebeu propinas - 98 milhões de dólares, só atrás do Brasil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2017 20:05

A Procuradoria venezuelana citou nesta quarta-feira (12/7) a esposa e a sogra do deputado e ex-ministro de Transporte e Obras Públicas Haiman El Troudi por supostos atos de corrupção relacionados à empreiteira Odebrecht.
 
 
"O Ministério Público citou na qualidade de denunciados Elita Del Valle Zacarías Díaz e sua filha María Eugenia Baptista Zacarías por estarem supostamente relacionadas ao caso Odebrecht", assinala um boletim do organismo.

Segundo a Procuradoria, "ambas as mulheres estão relacionadas com Haiman El Troudi, que foi ministro do Poder Popular para Transporte Terrestre e Obras Públicas" entre 2014 e 2015 durante o governo de Nicolás Maduro.

O cientista político Nicmer Evans, de linha chavista mas crítico a Maduro e que conhece o círculo próximo ao governo, assegurou que as mulheres são a esposa (María Eugenia) e a sogra (Elita) de El Troudi.

"A esposa do ex-ministro Haiman El Troudi foi denunciada pelo MP no caso Odebrecht (...), assim como sua sogra", afirmou em dois tuítes. 

O Ministério Público as citou para 27 de julho "a fim de que sejam denunciadas por delitos sancionados na Lei contra a Corrupção". 

"Este processo responde a uma investigação levada à frente pelo Ministério Público sobre diversas irregularidades detectadas em contratações feitas pelos representantes da mencionada empreiteira brasileira", acrescentou o boletim.

Na última terça-feira, a procuradora-geral, Luisa Ortega, anunciou que denunciará vários funcionários que supostamente receberam propinas da empreiteira.

"Temos identificado funcionários públicos que comprometeram o patrimônio do Estado em prol dessas empresas. Quando forem citados para serem denunciados, o que acontecerá nos próximos dias, iremos informá-los", anunciou em entrevista à emissora Unión Radio.

"Cuidado com aqueles que assinaram esses contratos, que não fizeram o acompanhamento e essas obras nunca terminaram. Muitos deles também receberam comissões", acrescentou.

De acordo com a delação de Marcelo Odebrecht, a Venezuela foi o segundo país da América Latina que mais recebeu propinas - 98 milhões de dólares, só atrás do Brasil.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.