Vinte e oito anos após sua morte, a surreal exumação de Dalí

As amostras do corpo serão retiradas do próprio túmulo a partir de restos ósseos ou fragmentos dentários, e serão enviados ao Instituto de Toxicologia e Ciências Forenses de Madri para comparar com o DNA da demandante

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/07/2017 18:13

Vinte e oito anos após a sua morte, o corpo de Salvador Dalí será exumado nesta quinta-feira para determinar se ele é o pai biológico de Pilar Abel, uma vidente de 61 anos que assegura ser filha única do gênio espanhol do Surrealismo.
 
 
O início da operação, a portas fechadas, estava prevista para às 20h00 (10h00 de Brasília), e durará várias horas.

Uma comitiva judicial deve erguer a lápide de 1,5 tonelada que cobre seu túmulo no Teatro-Museu Dalí, em Figueras, localidade catalã onde nasceram tanto ele quanto sua suposta filha.

A AFP viu chegar dois carros da equipe judicial escoltados pelos Mossos d'Esquadra, a polícia catalã, além de um furgão de uma funerária com um caixão de plástico cinza.

Na entrada do museu havia dezenas de curiosos atrás de faixas amarelas e inúmeros jornalistas munidos de câmeras.

"Vivo um dia como este com muita emoção porque me lembra o dia de sua morte", disse à AFP Marià Lorca, ex-prefeita de Figueras que presenciou o enterro do artista em 1989 e o visitou nos seis últimos anos de vida.


Alguns vizinhos, ao contrário, se mostraram perplexos com o caso.

"Ele amava muito a sua esposa" Gala, ex-companheira do poeta francês Paul Eluard, "mas a amava sem sexo e era um 'voyeur'. Por isso nós consideramos ser muito difícil que ele tivesse um filho. Esta mulher, acredito, inventou essa história para conseguir dinheiro", disse à AFP Lidia, que garante ter conhecido Dalí com 13 anos.

As amostras do corpo embalsamado serão retiradas do próprio túmulo a partir de restos ósseos ou fragmentos dentários, e serão enviados ao Instituto de Toxicologia e Ciências Forenses de Madri para comparar com o DNA da demandante.


Dalí e seu patrimônio

O pintor catalão morreu em Figueras em 23 de janeiro de 1989, aos 84 anos, após compartilhar boa parte de sua vida com Gala, musa que aparece em muitos de seus quadros e com quem não teve filhos.

A exumação foi ordenada no fim de junho pela Justiça em resposta à demanda de paternidade apresentada por Pilar Abel Martínez, que no caso de provar a sua filiação poderá reclamar pelos menos a quarta parte da herança do pintor, segundo seu advogado.

Os detalhes da exumação serão divulgados nesta sexta-feira pela manhã em coletiva, mas a resposta à pergunta de se ela é filha de Dalí, ou não, será conhecida dentro de semanas.

Os testes serão apresentados também em um julgamento previsto para 18 de setembro, segundo detalhou Enrique Blánquez, advogado da demandante.

"Hoje é um momento muito intenso para Pilar; finalmente vão acabar com uma dúvida que tinha há muito tempo, e ela está convencida de que o resultado será positivo", disse nesta quinta-feira.

Pilar Abel disse que se perder a ação continuará defendendo a hipótese. "Digamos que isso não acaba aqui", afirmou.

Relato incompleto

A herança, que inclui propriedades imobiliárias e centenas de quadros, está toda nas mãos do Estado espanhol, e é administrada pela Fundação Dalí. O patrimônio era de quase 400 milhões de euros no fim de 2016, segundo a memória anual.

Se Pilar Abdel comprovar a filiação, poderá abrir outra ação para reivindicar parte da herança, embora tenha assegurado que por enquanto o mais importante é "saber a verdade" sobre sua identidade.

Segundo o seu relato, que carece de certas explicações, sua mãe conheceu Dalí trabalhando como empregada na casa de amigos do pintor no povoado catalão de Cadaqués, onde ele passava longas temporadas em sua casa de Port-Lligat.

Quando grávida, se casou com outro homem e meses depois nasceu Pilar, que com apenas oito anos soube por sua avó a suposta identidade.

Sua mãe confirmou em 2007 esta história e, segundo sustenta, conta com outras testemunhas que sabem da suposta relação "encoberta" que sua mãe, agora com 87 anos e com Alzheimer, manteve com Dalí.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.