Turquia arquiva lista de empresas alemãs suspeitas de terrorismo

"Apesar do esclarecimento das autoridades turcas sobre a lista, persiste uma grande incerteza no que diz respeito à Turquia, o que levará tempo", alertou o porta-voz do ministério da Economia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/07/2017 09:12 / atualizado em 24/07/2017 11:54

Berlim, Alemanha - A Turquia decidiu deixar de lado uma lista com cerca de 700 empresas alemãs às quais acusava de financiar o terrorismo, indicou nesta segunda-feira (24/7) o governo alemão, que havia protestado a respeito. O governo turco enviou em maio a Berlim, através da Interpol, uma lista de 700 empresas alemãs, incluindo a BASF e a Daimler, presentes na Turquia e suspeitas de financiar o terrorismo, segundo o porta-voz do ministério do Interior, Tobias Plate.

Por fim, o ministro do Interior turco, Süleyman Soylu, ligou para seu colega alemão, Thomas de Maizière, para anunciar que a lista foi formalmente arquivada, dois dias depois que Berlim apresentou seu protesto. O ministro turco explicou que a lista transmitida à polícia judicial alemã para obter informações sobre as empresas foi resultado de um problema de comunicação, segundo o porta-voz.


A revista alemã Die Zeit revelou na semana passada a existência dessa lista. "Apesar do esclarecimento das autoridades turcas sobre a lista, persiste uma grande incerteza no que diz respeito à Turquia, o que levará tempo", alertou o o porta-voz do ministério da Economia, Tanja Alemany.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, negou no domingo (23/7) qualquer investigação contra empresas alemães. As relações entre Ancara e Berlim, tensas no último ano, pioraram na semana passada, depois da prisão de um militante de defesa dos Direitos Humanos na Turquia.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.