Trump adverte sobre 'última oportunidade' de passar reforma da saúde

Revogação do Obamacare era uma das principais promessas de Donald Trump na campanha presidencial

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/07/2017 14:44 / atualizado em 24/07/2017 19:25

Os senadores americanos se pronunciarão nesta terça-feira (25/7) sobre uma possível abertura dos debates sobre a reforma do sistema de saúde criado por Barack Obama, mas sua aposta pode fracassar.


Envolvendo-se pessoalmente com o tema, o presidente Donald Trump recebeu mais uma vez nesta segunda-feira na Casa Branca cerca de vinte "vítimas" do Obamacare. Trump enumerou as consequencias negativas do sistema e afirmou que o Obamacare "é a morte".

O presidente criticou abertamente cinco senadores republicanos que se opõem ao projeto por considerá-lo muito duro pelos cortes orçamentários que contém, afetando os mais pobres.

"Cada senador que vote contra (o projeto de lei do Executivo) diz aos Estados Unidos que o pesadelo (do Obamacare) é aceitável", tuitou nesta segunda. 

"Os republicanos têm uma última oportunidade de fazer o certo e derrogar e substituir [o Obamacare], depois de anos falando e fazendo campanha sobre isso", acrescentou.

Mas a matemática do Senado é implacável. Dos 52 membros da maioria republicana, três declararam na semana passada que irão votar "não" à moção para continuar, o que abre um debate na legislação, já que nenhum texto pode ser analisado sem um primeiro voto que autorize a abertura das discussões.

Não se sabe ainda se o senador republicano John McCain, ausente por motivos de saúde, estará em condições de votar.

Como os 48 democratas da oposição também votarão pelo "não", os republicanos apenas podem permitir que dois mudem de lado. O vice-presidente, segundo a Constituição, pode dar o voto de Minerva em caso de empate 50-50.

Uma vez que o texto esteja na agenda, os senadores poderão fazer as emendas e reescrever toda a lei para "substituir" a reforma da saúde de Obama. 

As negociações se desenvolvem intensamente na corda bamba. Algumas senadoras já anunciaram que bloquearão a iniciativa presidencial.

Uma delas, Shelley Moore Capito, recebe Trump nesta segunda-feira (23/7) em seu estado, a Virgínia Ocidental, um dos mais pobres do país, cujos habitantes estão entre os maiores perdedores de uma derrogação do Obamacare.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.