Presidente turco considera insuficiente retirada de detectores em Israel

Crise entre Israel e muçulmanos começou com a instalação de detectores de metal na Esplanada das Mesquitas, após dois policiais serem assassinados no local

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2017 15:03 / atualizado em 26/07/2017 15:08

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, considerou nesta quarta-feira (26/7) que a decisão de Israel de retirar os detectores de metal das entradas da Esplanada das Mesquitas em Jerusalém foi uma "boa" medida, mas insuficiente.
 
 
A retirada dos dispositivos "é uma boa medida", "mas, é suficiente? Não", afirmou o presidente turco, que criticou os obstáculo que impedem os muçulmanos de entrar no local.

Na terça-feira (25/7), Erdogan pediu que todos os muçulmanos do mundo visitassem e protegessem Jerusalém.

As autoridades israelenses decidiram retirar os detectores de metal instalados nos acessos à Esplanada em 16 de julho, dois dias após um ataque em que dois policiais israelenses foram mortos por três árabes.

Segundo as autoridades israelenses, os agressores, mortos após o ataque, haviam escondido suas armas na Esplanada.

Em protesto contra a medida, os muçulmanos se negam desde então a entrar na Esplanada e fazem suas orações nas ruas.

Cinco palestinos morreram em confrontos entre manifestantes e as forças de segurança israelenses após a instalação dos detectores.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.