EUA aumentam controle sobre aparelhos eletrônicos na bagagem de mão em voos

Os EUA não confirmaram oficialmente, mas o objetivo destas medidas é impedir a entrada de bombas escondidas em equipamentos portáteis nos aviões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/07/2017 16:02

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta quarta-feira (26/7) um endurecimento dos requisitos que passageiros devem cumprir para levar, na bagagem de mão, aparelhos eletrônicos maiores que celulares – como laptops, tablets e câmeras, entre outros.
 
 
Os passageiros deverão colocar todos os dispositivos maiores que um telefone em bandejas separadas para passar por scanners de segurança dos aeroportos, de maneira similar ao procedimento que é feito há anos com laptops.

A medida começará a ser implementada "nas próximas semanas e meses", informou em um comunicado a Direção de Segurança no Transporte (TSA), responsável pela segurança nos aeroportos.

O anúncio ocorre após os EUA proibirem, em março, os aparelhos eletrônicos na bagagem de mão em voos sem escalas procedentes de dez aeroportos em oito países de maioria muçulmana: Jordânia, Kuwait, Egito, Turquia, Arábia Saudita, Marrocos, Catar e Emirados Árabes Unidos.

Na semana passada, o governo americano anunciou o fim dessa medida e, ao mesmo tempo, informou sobre um endurecimento na segurança em voos procedentes de 105 países.

A Casa Branca teve conversas com dirigentes da União Europeia (UE) para expandir o chamado "veto eletrônico" a aeroportos do continente, mas por enquanto não obteve sucesso.

Os EUA não confirmaram oficialmente, mas o objetivo destas medidas é impedir a entrada de bombas escondidas em equipamentos portáteis nos aviões.

Em várias ocasiões, o secretário de Segurança Nacional, John Kelly, advertiu que grupos jihadistas como o Estado Islâmico desenharam bombas que se camuflam em dispositivos eletrônicos e que são capazes de passar pelos controles de segurança dos aeroportos.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.