Ex-negociador com as Farc quer ser candidato à Presidência da Colômbia

De la Calle lançou seu nome formalmente às vésperas das eleições de maio de 2018, em um modesto ato celebrado em Bogotá com sua família e colaboradores que foi transmitido pelas redes sociais.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/08/2017 18:51

Humberto de la Calle, chefe negociador do governo colombiano nos diálogos que selaram o histórico acordo de paz com os rebeldes das Farc, anunciou nesta quarta-feira (9/8) sua candidatura à Presidência da Colômbia.
 
 
"Me sinto capacitado para conduzir o país pelo caminho da paz, do diálogo, da união entre todos", disse o político liberal de 71 anos. 

De la Calle lançou seu nome formalmente às vésperas das eleições de maio de 2018, em um modesto ato celebrado em Bogotá com sua família e colaboradores que foi transmitido pelas redes sociais. 

O ex-chefe de equipe que durante quatro anos negociou em Cuba a paz com a maior guerrilha do continente, se presentou como um candidato capaz de liderar uma ampla coalizão que defenda o acordo alcançado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O acordo, que permitiu o desarmamento de quase 7.000 rebeldes e prevê a transformação do grupo em partido político, é bastante questionado por setores de direita liderados pelo ex-presidente Álvaro Uribe (2002-2010).

Diante da polarização gerada pelo acordo com as Farc - que segundo Uribe confere impunidade a acusados de crimes graves -, de la Calle prometeu trabalhar por "uma sociedade onde caibamos todos".

Ele reiterou que a opção de que um novo governo reajuste o pactado "reabre possibilidades a velhas e novas violências" e "desonra a palavra empenhada" no acordo.

O ex-negociador, que foi vice-presidente nos anos noventa e um dos artífices da Constituição de 1991, prevê liderar uma coalizão de forças a favor do acordo, embora não tenha informado se buscará o aval de algum partido tradicional.

Os colombianos vão escolher o sucessor de Santos em eleições que devem ser celebradas em 27 de maio de 2018.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.