Escócia tem primeiro casamento gay celebrado pela igreja

Em junho, Igreja Episcopal votou para alterar a lei canônica e permitir que casais do mesmo sexo se casassem no templo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/09/2017 18:00 / atualizado em 29/09/2017 21:08

Reprodução
 
Peter Matthews e Alistair Dinnie foram os primeiros homossexuais a se casarem em uma igreja anglicana do Reino Unido. A cerimônia, que ocorreu no início deste mês, em Edimburgo, foi aprovada pela Igreja Episcopal Escocesa e repercutiu entre ativistas dos direitos LGBTs ao redor do mundo. Outros casamentos entre pessoas do mesmo sexo foram realizados em igrejas em Glasgow e Moray desde então.
 

Em junho, Igreja Episcopal votou para alterar a lei canônica e permitir que casais gays se casassem na igreja durante seu Sínodo Geral em Edimburgo. Markus Dunzkofer, reverendo da igreja, disse à BBC, que era um "privilégio e uma honra" celebrar o casamento do casal. 

"Estou encantado que os dois se uniram e tiveram o casamento na igreja. O amor que eles têm um pelo outro é bastante óbvio. Ele não alimentou apenas a mim, mas a muitos membros da congregação. São membros muito ativos e solidários da igreja. Não estaríamos onde estamos sem eles", acrescentou. 

Os membros da igreja votaram para remover a cláusula doutrinária que afirmava que o casamento era uma "união de um homem e uma mulher", substituindo-o por uma cláusula que diz que "o clero que não desejar presidir casamentos do mesmo sexo, não será obrigado a fazê-lo contra a consciência".

O Secretário Geral da Comunhão Anglicana, por sua vez, disse que a decisão "está em desacordo com a posição da maioria de que o casamento é a união ao longo da vida de um homem e uma mulher".

No ano passado, a Igreja Episcopal dos Estados Unidos foi suspensa de participar na tomada de decisões e impediu a representação de anglicanos em encontros com outros cristãos e grupos de fé depois que apoiou o casamento gay.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.