Tillerson afirma que nunca pensou em renunciar ao governo Trump

De acordo com a rede NBC, Tillerson esteve prestes a apresentar sua demissão em junho

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/10/2017 13:15

Washington, Estados Unidos - O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, afirmou nesta quarta-feira (4/10) que nunca pensou em renunciar ao cargo, reagindo aos boatos sobre uma tensão crescente em sua relação com o presidente Donald Trump. "Nunca me ocorreu considerar sair", garantiu Tillerson no Departamento de Estado, recusando-se, porém, a comentar os relatos de que teria chamado Trump de "estúpido" durante uma conversa com assessores.

De acordo com a rede NBC, Tillerson esteve prestes a apresentar sua demissão em junho. Além disso, as tensões em seu relacionamento com a Casa Branca teriam motivado uma mediação pacificadora do vice-presidente Mike Pence. Tillerson negou essa versão.

"O vice-presidente nunca me convenceu a permanecer como secretário de Estado, porque eu nunca pensei em deixar essa posição", garantiu. "O meu compromisso com o sucesso do nosso presidente e do nosso país é tão forte como no dia em que aceitei ser o secretário de Estado", frisou.


Referindo-se à conversa com assessores, Tillerson disse que o boato pretende "dividir o país, e não quero fazer parte desse esforço para dividir o governo". Nos últimos dias, Tillerson foi mencionado de forma desfavorável nas mensagens de Trump no Twitter.

Em uma delas, por exemplo, o presidente afirmou que Tillerson estava "desperdiçando seu tempo" ao tentar negociar uma solução diplomática para as complicadas relações com a Coreia do Norte. "Não se preocupe, Rex, faremos o que tivermos que fazer", acrescentou o presidente, em uma mensagem que foi interpretada em Washington como uma tentativa de afastar o magnata do petróleo das decisões centrais do governo.

Já durante a última Assembleia Geral da ONU, os rumores indicavam que a Casa Branca via com bons olhos um afastamento de Tillerson para dar lugar à atual representante dos Estados Unidos no Conselho de Segurança, Nikki Haley.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.