Justiça pede à campanha de Trump documentos sobre denúncias de assédio

Trump afirmou que seus comentários no vídeo foram apenas uma "conversa de vestiário", alegando que as denúncias de assédio sexual contra ele eram falsas e fabricadas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/10/2017 08:50

Mandel Ngan  / AFP
Washington, Estados Unidos - A equipe de campanha de Donald Trump deverá entregar à Justiça documentos relacionados a uma denúncia de agressão sexual apresentada quando ele era candidato - informou o portal BuzzFeed News no domingo (15/10). A ação apresentada por Summer Zervos, que foi candidata no reality show de Trump, "O Aprendiz", diz que ele deu "várias declarações falsas e difamatórias" depois que ela o acusou de tê-la tentado beijar e tocá-la sem seu consentimento.

Emitida em março, a notificação judicial exige que a equipe de campanha eleitoral de Trump e seus membros entreguem os documentos sobre Zervos e seus associados, assim como sobre "qualquer mulher que tenha afirmado que Donald J. Trump a tocou de forma inadequada".

Também pede os documentos sobre "qualquer acusação" feita durante a campanha eleitoral de que ele "submeteu qualquer mulher a toques sexuais não desejados e/ou a comportamento sexualmente inadequado", assim como sobre as respostas do presidente às denúncias contra ele.

A notificação, que não foi divulgada oficialmente, foi revelada pelo portal BuzzFeed News. No ano passado, Zervos denunciou que Trump havia tido iniciativas sexuais inconvenientes, quando ambos se reuniram no Hotel Beverly Hills, em Los Angeles, em 2007, para discutir suas oportunidades profissionais. Trump se atirou agressivamente sobre ela durante o encontro e apalpou seus seios, gesto rejeitado por ela - conforme seu relato.

Zervos e outras mulheres fizeram denúncias parecidas depois que um vídeo de 2005 veio à tona, em outubro de 2016. Na gravação, Trump se gabava de assediar mulheres. Em sua defesa, o magnata nova-iorquino afirmou que seus comentários no vídeo foram apenas uma "conversa de vestiário", alegando que as denúncias de assédio sexual contra ele eram falsas e fabricadas.

 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.