Exposição exalta os feitos do presidente chinês Xi Jinping

Se para críticos isso seria o culto à personalidade de um líder, para muitos chineses trata-se do reconhecimento a um presidente que impulsionou reformas cruciais e consolidou o papel da China como potência econômica e militar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/10/2017 06:00 / atualizado em 18/10/2017 15:42


Rodrigo Craveiro/CB/D.A Press


Pequim — As imagens de Xi Jinping aparecem por todos os cantos dos pavilhões do Centro de Exposições de Pequim. Filas imensas se formam diante do prédio, que tem forma de castelo, para a mostra Avanço adiante: os progressos importantes da China nos últimos cinco anos. Do lado de fora, uma fonte erguida em meio a um jardim colorido é o chamariz perfeito para que jovens e idosos, com expressão de orgulho e patriotismo, saquem as câmeras e se deixem fotografar com o imenso painel ao fundo. A mensgem em mandarim diz: “Cinco anos de avanços animando-nos uns aos outros”. Inaugurada em 25 de setembro passado, a exibição atrai cerca de 10 mil pessoas diariamente e as reservas têm de ser feitas com antecedência.


Se para críticos isso seria o culto à personalidade de um líder, para muitos chineses trata-se do reconhecimento a um presidente que impulsionou reformas cruciais e consolidou o papel da China como potência econômica e militar. “Meu país experimentou grande progresso. A maioria das pessoas apoia o nosso governo. Quando eu era garoto, não tinha comida suficiente. Agora, sou um consumidor. Meu vizinho tem uma casa e um carro bonito, e meu filho está na universidade. Estou orgulhoso do meu governo e do meu partido”, afirma Li Ming, 51 anos, gerente de exportações que vive na capital há quatro décadas.



Com uma pequena bandeira chinesa nas mãos, Giang Yu Gie, 20, estava acompanhada de uma amiga e demonstrou timidez ao ser abordada pela reportagem. Mas fez questão de elogiar o presidente. “Xi é um líder muito bem-sucedido. Ele nos governa de forma bastante inteligente, rumo a um futuro mais amplo.” Giang prometeu seguir as notícias sobre o 19º Congresso do Partido Comunista e planeja ingressar no partido.

“Xi Jinping é uma pessoa muito boa e tem melhorado bastante a nossa educação. Muitas crianças não podiam ir à escola, principalmente em vilarejos pobres, mas agora têm a oportunidade”, declarou ao Correio Wang Gang. O estudante de 19 anos considera o Congresso do Partido Comunista um evento “muito importante” para o país. “Trará mudanças importantes nos próximos cinco anos”, acredita.

Superlativo

No primeiro pavilhão da exposição, um minissubmarino desponta no centro do salão. O Jiaolong — nome que faz menção a um dragão da mitologia chinesa — alcançou os 7 mil metros e bateu o recorde mundial de profundidade. Adiante, à esquerda, o Telescópio Esférico de Abertura de 500m (Fast), apelidado de “olho do céu”, é mais um exemplo de como a China se tornou sinônimo de superlativo: trata-se do maior radiotelescópio do mundo.

Não muito distante, um trator gigantesco, que teria revolucionado o trabalho agrícola nas lavouras chinesas. Cada um dos 10 pavilhões do Centro de Exposições de Pequim traz o principal legado de Xi nos campos econômico, político, diplomático e militar, e assenta as bases para mais um mandato do presidente e líder partidário.

Ang Xiaorong, 66, para diante de um dos telões e aponta o iPhone com orgulho para as imagens de Xi. “Estou profundamente emocionada com a exposição. Nos últimos cinco anos, a China obteve grandes conquistas. Muitos não acompanharam os progressos do governo pela tevê, mas vieram para cá e ficaram tocados”, testemunha. De acordo com ela, o país experimentou mudanças profundas no período. “A qualidade de vida aumentou bastante”, acrescenta. Cui Yon, 22, se diz contente com a forma como Xi gerenciou a infraestrutura. “O país passou por uma transformação contundente. No passado, o sistema de transportes não era bom”, exemplifica. Ao fim da exposição, o visitante atravessa uma sala onde se projetam em todo o ambiente imagens das conquistas atribuídas ao presidente. (RC)

O repórter viajou a convite a Embaixada da China
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.