Editora dos EUA se desculpa por material ofensivo em manual de enfermagem

Segundo o manual, que ofereceria um panorama de como pacientes de diversas origens culturais enfrentam a dor, os judeus "podem se expressar violentamente e pedir ajuda", porque "acreditam que a dor deve ser compartilhada e validada por outros", por exemplo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/10/2017 19:52

A gigante editorial Pearson pediu desculpas, formalmente, diante da enxurrada de críticas pelo material cultural e racialmente ofensivo contido em um manual de Enfermaria. As desculpas da editora foram dadas depois de uma verdadeira tempestade nas redes sociais que se estendeu por vários dias.


O escândalo foi sobre a página de um manual de enfermagem que descreve as diferenças culturais na resposta à dor. De acordo com a editora, essa página tinha como objetivo oferecer aos estudantes de enfermagem um panorama de como pacientes de diversas origens culturais, ou religiosas, enfrentam a dor.

O livro diz que árabes e muçulmanos "podem não pedir remédios contra dor, mas, em vez disso, agradecer a Alá pela dor, se for resultado de um procedimento médico de cura". "Os chineses podem não pedir analgésicos para não distrair a enfermeira de alguma outra tarefa mais importante", diz o livro.

Em relação aos pacientes negros, o manual aponta que é comum que "reportem uma dor de intensidade maior do que outras culturas", acrescentando que esses pacientes "acreditam que sofrimento e dor são inevitáveis". Enquanto isso, os judeus "podem se expressar violentamente e pedir ajuda", porque "acreditam que a dor deve ser compartilhada e validada por outros".

"Peço desculpas", manifestou em um vídeo o diretor de desenvolvimento de produtos da editora, Tim Bozik.

"Em uma tentativa para ajudar estudantes de enfermagem nos diferentes aspectos do cuidado de pacientes, reforçamos vários estereótipos sobre grupos étnicos religiosos. Isso está errado", lamentou.

Bozik disse que a editora já removeu a página da polêmica das edições eletrônicas do livro e que considera a possibilidade de recolher os exemplares distribuídos para livrarias com o material.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.