Discussão entre Trump e senador republicano oculta debate tributário

Trump, que precisa de apoio para aprovar uma reforma tributária antes do fim do ano, acompanhou uma reunião da bancada do Partido Republicano no Senado pela primeira vez desde sua posse

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/10/2017 17:47

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi ao Congresso nesta terça-feira (24/10) tentar impulsionar sua reforma tributária, mas a rara visita de um mandatário ao Capitólio ficou em segundo plano, após uma discussão explosiva com o senador republicano Bob Corker.



Trump, que precisa de apoio para aprovar uma reforma tributária antes do fim do ano, acompanhou uma reunião da bancada do Partido Republicano no Senado pela primeira vez desde sua posse.

Contudo, a atenção política se voltou para uma troca azeda com Corker, que respondeu a ataques de Trump no Twitter dizendo que o presidente não é "digno de confiança" e que "degrada" o país.

Influente em seu partido e presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Corker se tornou um crítico aberto do presidente, lhe acusou no começo do mês de ser perigosamente impulsivo e chamou a Casa Branca de "creche para adultos".

O político do Tennessee pareceu irritar Trump ainda mais nesta terça quando disse à ABC que gostaria que o presidente se mantivesse à margem do debate sobre a legislação fiscal e "deixasse que os profissionais" terminem o projeto.

Trump disparou uma série de tuítes contra Corker e a batalha verbal continuou durante toda a semana, na televisão e nas redes sociais.

"Bob Corker, que ajudou o presidente Obama a nos dar o mau acordo (nuclear) com o Irã e não poderia ser eleito nem para cuidador de cães no Tennessee, agora está lutando contra o corte de impostos", tuitou Trump.

"As mesmas mentiras de um presidente absolutamente mentiroso", replicou Corker.

"Não sei por que se rebaixa a um nível tão baixo e degrada nosso país da forma que o faz, mas o faz", disse Corker à imprensa no Senado, numa rara crítica ao comandante em chefe no seio de seu próprio partido.

"É lamentável que nossa nação se encontre nesta situação", acrescentou o senador, lamentando seu apoio à nomeação presidencial de Trump e dizendo que não votaria nele novamente.


Leia mais notícias em Mundo

 

"Demonstrou ser incapaz de estar à altura das circunstâncias", destacou.

'Esse dinheiro voltará a fluir'

 

A disputa deixou à mostra as tensões agudas entre Trump e alguns republicanos no Capitólio, onde o presidente ainda não conquistou nenhuma importante vitória legislativa.

Antes de ir ao Congresso, Trump disse no Salão Oval que os Estados Unidos têm uma das cargas tributárias mais altas do mundo, e um corte de impostos restabeleceria a vantagem competitiva do país.

"Se conseguirmos isso rápido, o que realmente acredito que faremos, porque temos que fazê-lo como país, vai nos trazer de volta uns 4 trilhões de dólares", afirmou Trump.

"Esse dinheiro voltará a fluir, vai ser muito rápido e muito fácil", acrescentou.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.