Trump nomeia para OEA político cubano-americano Carlos Trujillo

Católico, casado e pai de quatro filhos, é um advogado de 34 anos que fala espanhol fluentemente e membro da Câmara de Representantes do estado da Flórida desde 2010, onde preside a Comissão de Orçamento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2017 16:50

O presidente Donald Trump nomeou nesta quinta-feira (26/10) o político republicano cubano-americano Carlos Trujillo como representante permanente dos Estados Unidos na Organização dos Estados Americanos (OEA), informou a Casa Branca em um comunicado.



Trujillo, católico, casado e pai de quatro filhos, é um advogado de 34 anos que fala espanhol fluentemente e membro da Câmara de Representantes do estado da Flórida desde 2010, onde preside a Comissão de Orçamento.

"Obrigado @realDonaldTrump por confiar em mim. Honrado com esta incrível oportunidade", escreveu o legislador estadual em sua conta no Twitter após saber do anúncio oficial.

Nascido em Long Island, mas criado em Miami, onde mora, Trujillo apoiou Trump durante a campanha eleitoral de 2016 e compareceu à tomada de posse do presidente.

Em agosto, o presidente o designou para trabalhar nas Nações Unidas junto com a embaixadora Nikki Haley.

Se for confirmado no cargo pelo Senado americano, Trujillo deverá se mudar de Miami para Washington, onde o governo de Trump espera que contribua com o seu conhecimento da política latino-americana.

 

 

Leia mais notícias em Mundo

 

"Miami é uma porta de entrada para a América Latina e Carlos é bilíngue, e entende as complexidades da política na região, sabe que a política da Argentina é completamente diferente da de Cuba, por exemplo", disse um amigo de Trujillo citado sob anonimato pela plataforma de notícias Politico.

Sócio-fundador do escritório de advocacia Trujillo, Vargas, Gonzalez and Hevia LLP desde 2011, Trujillo também trabalhou como assistente do procurador estadual no gabinete de Miami-Dade.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.