Catalunha: Puigdemont cogita candidatura em 21 de dezembro

"Estou disposto a ser candidato", declarou à RTBF, em uma entrevista gravada em francês, na qual acrescentou que "quero ser um mensageiro para nossos concidadãos"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/11/2017 18:49

De Bruxelas, o presidente catalão destituído por Madri Carles Puigdemont disse nesta sexta-feira (3/11) que está disposto a se candidatar nas eleições de 21 de dezembro, na Espanha, mesmo que tenha de fazer campanha do exterior - revelou ele em entrevista à emissora belga RTBF.



"Estou disposto a ser candidato", declarou à RTBF, em uma entrevista gravada em francês, na qual acrescentou que "quero ser um mensageiro para nossos concidadãos".

Ele garantiu que não fugirá da Justiça.

"Vou à Justiça, mas a verdadeira Justiça (...) Disse aos meus advogados que expressem à Justiça belga que estou totalmente disposto a colaborar", garantiu ele nessa entrevista exclusiva.

Também nesta sexta a juíza espanhola Carmen Lamela, da Audiência Nacional, emitiu uma ordem europeia de busca e captura contra Puigdemont e quatro de seus ministros, investigados por rebelião e sedição por seu papel na declaração de independência na Catalunha.

A ordem para capturar e prender Puigdemont e seus colaboradores está dirigida às autoridades judiciais belgas, onde "aparentemente estão os cinco investigados" que não se apresentaram perante a Justiça espanhola, informou o alto tribunal em Madri.

Bruxelas já acusou o recebimento da solicitação.

 

Leia mais notícias em Mundo

 

"Será estudada e, depois, será entregue a um juiz de instrução", afirmou o porta-voz da Procuradoria Federal belga, Eric Van der Sijpt.

A juíza Carmen Lamela emitiu o mandado depois que Puigdemont e seus colaboradores não compareceram na quinta-feira para depor e após a magistrada rejeitar a possibilidade de que pudessem fazê-lo por videoconferência.

"Nenhum dos cinco solicitantes [...] explica os motivos" para depor por essa via e "sequer apontam seu domicílio na Bélgica a fim de poder arbitrar a videoconferência", explicou o texto.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.