Rússia rejeita apelo dos EUA para romper vínculos com a Coreia do Norte

"Os americanos ignoram estas exigências, é um grande erro", disse o chefe da diplomacia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/11/2017 10:29 / atualizado em 30/11/2017 12:19

Moscou, Rússia -A Rússia rejeitou nesta quinta-feira o apelo dos Estados Unidos para que Moscou interrompa os vínculos comerciais e diplomáticos com a Coreia do Norte em represália pelo mais recente lançamento norte-coreano de um míssil intercontinental e, ao mesmo tempo, acusou Washington de querer "provocar" Pyongyang.

"Nossa opinião é negativa: em várias ocasiões destacamos que a pressão das sanções se esgotou e que as resoluções que determinaram sanções implicavam necessariamente retomar um processo político e retomar as negociações", afirmou o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov.

"Os americanos ignoram estas exigências, é um grande erro", disse o chefe da diplomacia, citado pelas agências de notícias russas durante uma viagem a Minsk.
"As ações recentes dos Estados Unidos parecem ter sido dirigidas deliberadamente para provocar ações radicais de Pyongyang", afirmou Lavrov.

"Parece que todo está armado para irritar Kim Jong-un", completou.

Após o novo lançamento de um míssil intercontinental na quarta-feira, o governo dos Estados Unidos pediu a todos os países, em particular a China, o rompimento dos vínculos comerciais e diplomáticos com a Coreia do Norte.

Em uma reunião do Conselho de Segurança da ONU, a embaixadora americana Nikki Haley ameaçou "destruir completamente" o regime norte-coreano "em caso de guerra".

"Os americanos precisam explicar o que eles desejam. Se estão buscando um pretexto para destruir a Coreia do Norte, então eles devem afirmar claramente e a liderança americana deve confirmar", exigiu Lavrov.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.