Coreia do Norte aceita reabrir linha de comunicação com a Coreia do Sul

Anúncio ocorre no dia seguinte da proposta de Seul para que houvesse uma reunião de alto nível para tratar da possível participação de Pyongyang nos Jogos Olímpicos de Inverno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/01/2018 07:34 / atualizado em 03/01/2018 07:39

AFP PHOTO/KCNA VIA KNS


O regime da Coreia do Norte anunciou, nesta quarta-feira (3/1), que reabrirá as linhas suspensas de comunicação com a Coreia do Sul, como parte da vontade de retomar o diálogo expressado por seu líder, Kim Jong-un, em sua mensagem de ano-novo.

Pyongyang voltará a utilizar a linha telefônica intercoreana hoje, a partir das 15h (horário local, 4h30 de Brasília), segundo a rádio estatal da Coreia do Norte.

Leia as últimas notícias de Mundo

O anúncio ocorre no dia seguinte da proposta de Seul para que houvesse uma reunião de alto nível na próxima terça-feira, dia 9, para tratar da possível participação de Pyongyang nos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang, como foi destacado por Kim Jong-un em seu discurso no primeiro dia do ano.

"Ratificando a vontade de nosso líder, manteremos um contato estreito e sincero" disse Ri Son-gwon, que dirige a agência encarregada de administrar assuntos intercoreanos em Pyongyang.

"Vamos realizar conversas de trabalho sobre o potencial envio pela nossa parte de uma delegação" aos Jogos de Inverno, que acontecerão entre os dias 9 e 25 de fevereiro.

No entanto, Ri não deixou claro que a Coreia do Norte aceitará ou não a oferta de manter uma reunião de alto nível na próxima terça-feira, dia 9, ou se as conversações se limitarão à linha de comunicação telefônica instalada na fronteira, que está sem operar há quase dois anos e era o único canal entre as duas nações.

Em Seul, Yoon Young-chan, porta-voz do presidente Moon Jae-in, comemorou a notícia.

"Eu acho que o (anúncio) mostra um avanço para uma situação em que a comunicação (entre os dois países) seja possível em todos os momentos", disse em um breve comunicado.

Caso aconteça, seria o primeiro encontro deste tipo em mais de dois anos entre os dois países, que estiveram em guerra há mais de 65 anos, e chegaria após um ano de especial tensão pelas insistentes provas armamentísticas de Pyongyang.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.