Publicidade

Estado de Minas

ONU anuncia libertação de 300 crianças soldados no Sudão do Sul

A instituição que colabora com o Unicef visa desmobilizar 700 crianças soldados em Yambio e ressalta que o maior desafio agora é garantir educação, emprego, além de apoio financeiro e emocional aos menores


postado em 07/02/2018 13:48 / atualizado em 07/02/2018 13:59

"As crianças não deveriam carregar fuzis e se matar entre si. Deveriam brincar, se divertir com os amigos", declarou o chefe da Minuss (foto: Sebastian Rich/Unicef)

Juba, Sudão do Sul - A missão da ONU para o Sudão do Sul (Minuss) anunciou nesta quarta-feira (7/2) a libertação de mais de 300 crianças soldados no sul do país, devastado pela guerra desde dezembro de 2013, dois anos após a separação do Sudão.
 
A libertação dos 311 menores é a primeira fase de um programa que prevê desmobilizar 700 crianças soldados na região de Yambio, das quais 563 integram as tropas fieis ao presidente Kiir e 137 às do ex-vice-presidente Riek Machar.
 
"As crianças não deveriam carregar fuzis e se matar entre si. Deveriam brincar, se divertir com os amigos, protegidos e queridos pelos adultos de seu entorno", declarou o chefe da Minuss, David Shearer.
 
Shearer indicou que 87 das 311 crianças libertadas nesta quarta são meninas, "que provavelmente sofreram experiências terríveis, como estupros”. O chefe do Minuss afirmou que é vital que essas meninas recebam o apoio que precisam para serem reintegradas às suas comunidades e “sejam acolhidas em seus lares por familiares e amigos sem serem estigmatizadas".
 
A Minuss, que colabora com o Unicef, líderes religiosos e autoridades locais para negociar a libertação das crianças, ressalta que o maior desafio agora é garantir educação, emprego e apoio financeiro e emocional aos menores.
 
A missão da ONU também negocia a libertação de crianças soldados em outras regiões, em particular no leste no norte do país.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade