Já pensou em fazer um curso a distância?

A modalidade garante a qualidade de um curso presencial, com flexibilidade de horários, metodologia interativa e acompanhamento em tempo integral pelos professores

Apresentado por
Unicesumar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/01/2018 15:17 / atualizado em 12/01/2018 12:14

 

A cada dia que passa, está mais difícil inserir e manter-se no mercado de trabalho. É preciso estar constantemente atualizando o currículo, adquirindo novas habilidades e fazendo especializações. No entanto, já é muito difícil conciliar o emprego com a vida social, horas de sono e as outras responsabilidades do dia a dia, principalmente quando se perde muito tempo no deslocamento de um lugar para outro. Quase não sobra espaço na rotina para cursar uma faculdade ou uma pós-graduação. Nesse cenário, tem crescido bastante a opção de fazer cursos a distância, por meio de plataformas virtuais de aprendizado. A proposta inicial desse formato de estudo era garantir um ensino de qualidade para as pessoas que moram em lugares distantes dos grandes centros, permitindo que elas tivessem acesso remoto a professores e conteúdos de faculdades renomadas. Porém, com o passar dos anos, a integração com o ambiente virtual aumentou e a tecnologia permitiu novas formas de interação via web, facilitando bastante o aperfeiçoamento dessas plataformas. 

 

Além da flexibilidade de horários, todo o conteúdo fica disponível online e pode ser acessado de qualquer aparelho conectado à internet. Os ambientes virtuais de aprendizagem também disponibilizam várias ferramentas de interação com os alunos, tais como: vídeo-aulas, que tem por objetivo tornar o conteúdo mais atrativo e fácil de compreender, além de permitir pausar, voltar e rever quantas vezes forem necessárias; conferências, que permitem um encontro em tempo real com o professor e demais alunos da turma, para sessões de dúvidas, acompanhamento das atividades e auxílio na explicação de algum conteúdo específico; chats e fóruns, que possibilitam a promoção de discussões em grupo, debates e esclarecimentos; e bibliotecas virtuais gratuitas, com conteúdos de qualidade disponíveis para download. A melhor parte é que todo o histórico fica registrado na página do aluno e pode ser acessado sempre que necessário. 

 

 

Em 2016, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) registrou que 66,4% dos estudantes universitários trabalham pelo menos 40h por semana e que 49,6% ajuda ou é responsável pelo sustento da casa. A autonomia do ritmo de estudos, somada à flexibilidade, redução da necessidade de deslocamentos, otimização do tempo e suporte de qualidade para o aprendizado, acabaram por fazer com que muitos desses profissionais optassem por um curso a distância, 28% do total de matrículas nacionais, mais precisamente. Uma vez que não há gastos com infraestrutura, o valor das mensalidades também acaba sendo bem mais baixo, se comparado com um presencial. 

 

Ensino a distância é mais fácil? 

 

Muitas pessoas têm esse preconceito com a modalidade virtual de aprendizado por acreditarem que sem um acompanhamento constante do professor, as atividades não são cumpridas com a mesma qualidade e exigência, além de ser mais fácil burlar as avaliações. No entanto, a realidade é muito diferente, uma vez que não há um limite de tempo para a interação entre alunos e professores, é possível aprofundar em todos os assuntos e exigir muito mais de cada trabalho. Os professores também têm maior disponibilidade de tempo para fazer as correções e podem fazer revisões mais personalizadas, cuidando das dificuldades de cada aluno. Como o chat para tirar dúvidas está sempre disponível, e as aulas também, as avaliações são bem mais específicas. 

 

As instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação devem ter obrigatoriamente uma aula presencial por semana, assim como tutoria, práticas de laboratório e avaliações, realizadas em algum dos polos de apoio da faculdade ou universidade. Não é fácil ser aprovado, é preciso ter disciplina, proatividade e muita organização para cumprir com todas as atividades propostas dentro do prazo, principalmente porque não há uma cobrança diária por parte dos professores. Claro que eles entram em contato ao perceber que o aluno não está realizando os trabalhos, mas é preciso assumir as responsabilidades. 

 
Ter um bom desempenho exige dedicação. Uma boa dica é separar um horário na agenda para estudar. Descubra que momento do dia é o mais tranquilo, que facilite a sua concentração e trace prioridades. Durante os estudos, desligue a TV, afaste os animais de estimação e as crianças, deixe o celular desligado ou no silencioso e se mantenha focado nas atividades, nunca tente fazer duas coisas ao mesmo tempo. Prepare um ambiente agradável e confortável, se alimente bem e coloque uma garrafa de água por perto. Faça uso de todas as ferramentas disponíveis na plataforma e sempre que assistir a alguma aula, anote em um caderno os pontos mais relevantes e possíveis dúvidas, pois isso vai otimizar seu tempo de estudo perto das avaliações.
 
E como é feita a avaliação do MEC? 
 
Ao escolher um curso a distância, é preciso ter os mesmos cuidados que teria na hora de escolher um presencial. Primeiramente, é preciso saber se a instituição é reconhecida pelo Ministério da Educação, para garantir que você vai receber um diploma válido ao se formar. Para isso, acesse o portal e-MEC, na aba de consulta avançada, busque por curso de graduação, defina o nome do curso e selecione o estado. O resultado da pesquisa irá mostrar o nome da instituição de ensino superior (IES), o nome do curso, o grau (graduação, pós, mestrado, doutorado), a modalidade (presencial ou a distância) e os três índices de avaliação do MEC: conceito Enade, conceito preliminar de curso e índice geral de cursos avaliados da instituição. 
 
Os três indicadores são baseados na prova do Enade, Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes, que funciona como o Enem, só que com assuntos específicos de cada curso, para alunos com 75% do curso de graduação completos. 
 
Qual é a situação do Distrito Federal? 
 
A Universidade de Brasília ainda é a mais bem avaliada pelo MEC, mas para quem deseja uma opção à altura, especializada em ensino a distância, a Unicesumar é uma boa escolha. Ela tem 26 anos de atuação e está presente em todos os estados brasileiros, com mais de 90 mil alunos. Oferece ensino superior a distância no DF desde 2009 e está entre as três melhores da região, em todos os índices de avaliação, com nota máxima no conceito Enade, por sete anos consecutivos e nota quase máxima de IGC pelos últimos 5 anos, a mais alta dentre os 10 maiores grupos educacionais do país. A avaliação do MEC é geral para a instituição, o que atesta a qualidade da Unicesumar tanto no ensino presencial quanto a distância. 
 
 
 
Os cursos da universidade também são muito bem avaliados, muito deles com nota máxima, tais como matemática, pedagogia, gastronomia, design de moda, gestão pública, análise de desenvolvimento de sistemas e gestão de agronegócio. Sem contar que 80% do corpo docente é composto por mestres e doutores, sendo que o exigido pelo MEC é apenas 30%. Ela possui polos de apoio em várias regiões administrativas do DF, como Taguatinga, Gama, Planaltina, Ceilândia, Águas Lindas e Plano Piloto. O material de estudo é gratuito e foi avaliado como o melhor do Brasil em 2017, pela Associação Brasileira de Educação a Distância. 
 
 
A metodologia da instituição associa teoria e prática, de forma que o aluno aprende de forma natural, sem muito esforço. Em caso de dúvidas, todos os polos contam espaços adaptados aos cursos oferecidos, com equipes presenciais de monitoria e acompanhamento personalizado para os alunos. Por isso que, mesmo com 98% dos alunos vindos de escola pública, eles apresentam rendimentos no Enade muito parecidos com os da universidade federal, o que mostra um grande crescimento desses estudantes ao longo do curso. Para saber mais sobre a instituição, acesse o site ou visite o polo mais próximo de você. 
 

 

   

Tags: unicesumar
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.