Após prestar esclarecimentos, Cesare Battisti é solto e retorna a São Paulo

O ex-membro da guerrilha esquerdista havia sido detido na última quarta-feira (4/10) na Bolívia. Ele transportava 6 mil dólares e 1,3 mil euros sem declaração

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/10/2017 15:18 / atualizado em 07/10/2017 16:25

REGINALDO CASTRO
O fugitivo da Justiça italiana Cesare Battisti, 62, ex-membro da guerrilha esquerdista e condenado por assassinato em seu país, foi libertado hoje e retorna a São Paulo, de acordo com informações do advogado Marcio Palma. Ele havia sido detido pela polícia na cidade de Corumbá, fronteira com a Bolívia, na última quarta-feira (4/10). Na ocasião, ele e mais dois homens transportavam 6 mil dólares e 1,3 mil euros, que não foram declarados. 
 

Battisti, que permaneceu foragido por mais de três décadas, declarou que sua intenção era comprar artigos de pesca, uma jaqueta de couro e vinho, no Shopping China, que acreditava ficar em uma "zona internacional" que não pertenceria à Bolívia.
 
 
O atual governo brasileiro indicou que está reconsiderando a extradição de Battisti. Uma fonte do gabinete do presidente Michel Temer disse que "aguardam a posição dos ministérios da Justiça e das Relações Exteriores para tomar uma decisão.

Histórico


Ex-integrante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, Battisti foi preso em junho de 1979, mas fugiu da prisão e foi para a França em 1981 e, depois, para o México, antes de retornar à França.

Após 15 anos beneficiado pela política do presidente socialista François Mitterrand de não extraditar nenhum militante de extrema esquerda que tivesse renunciado à luta armada, Battisti fugiu para o Brasil em 2004, durante o governo do conservador Jacques Chirac.

Em 2007, foi capturado no Rio de Janeiro e ficou quatro anos na cadeia até ser libertado, em 2011.

Em 2009, a pedido de Roma, o Supremo Tribunal Federal autorizou a sua extradição, mas esta foi negada em 2010 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no último dia de seu segundo mandato.


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Aminadab
Aminadab - 08 de Outubro às 11:12
Primeiro queremos saber se fosse um Bandido Comum do Brasil, se teria esse tratamento, e todas as Leis Penais do Brasil seriam colocadas na LATA "DO LIXO". Brasil um País sem Leis Penais, essa é a verdade e corrupção acima de tudo! Talvez essa Grana suja do Battisti seja fruto dos ROUBOS NA PETROBRAS ou em outras ESTATAIS ou mesmo do BNDES... Isso é um DEBOCHE contra a IMAGINAÇÃO DO POVO BRASILEIRO, alô LAVA JATO mais fato para ser APURADOS, pois, as LAVANDERIAS STF e TSE ESTARÃO AD ETERNUM SÓCIOS dos Bolchevistas, bem como, os Fabianistas...