política
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Plenário do STF retoma debate sobre auxílio-moradia pago a magistrados Nos últimos anos, o CNJ tem vetado os repasses feitos pelos tribunais. Agora, caberá ao Supremo Tribunal Federal definir se o benefício é legal

Diego Abreu

Publicação: 09/05/2013 07:48 Atualização: 09/05/2013 08:22

Dias Toffoli negou pedido de juízes do Amapá que queriam a regalia (Fellipe Sampaio/CB/D.A Press)
Dias Toffoli negou pedido de juízes do Amapá que queriam a regalia
 

O auxílio-moradia pago a juízes pode estar com os dias contados. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vem tomando decisões pontuais no sentido de vetar o pagamento feito pelos tribunais. Agora, caberá ao Supremo Tribunal Federal (STF) definir se o benefício é legal. O CNJ não tem ideia do número de magistrados que recebem o benefício no país nem o valor que é gasto anualmente. A Suprema Corte começou a julgar um mandado de segurança que trata do tema em 2009, mas a análise já foi interrompida duas vezes por pedidos de vista. O caso foi liberado em novembro do ano passado pelo ministro Dias Toffoli para retornar à pauta do plenário, o que deve ocorrer em breve.

Desde 2009, algumas liminares sobre o tema foram concedidas e outras rejeitadas por ministros do STF. O decano do tribunal, Celso de Mello, negou, há quatro anos, pedido feito por um desembargador aposentado de Mato Grosso do Sul que queria voltar a receber o auxílio cortado do salário por decisão do CNJ. O conselho definiu, durante a análise de procedimentos relativos a Mato Grosso do Sul, ao Amapá e a Rondônia, que o pagamento é irregular.

Leia mais notícias em Política

Ao rejeitar o pedido, Celso de Mello observou que as regras previstas na Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman), entre elas a do auxílio-moradia, não podem ser ampliadas por legislação estadual. O ministro destacou que a norma prevê a possibilidade de pagamento somente para aqueles que necessitem de “ajuda de custo, para moradia, nas localidades em que não houver residência oficial à disposição” e que o benefício é destinado a “indenizar” o magistrado que não tem casa própria na localidade onde trabalha.

 

 

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: GILMAR PEREIRA
auxilio mordomia | Denuncie |

Autor: GILMAR PEREIRA
direitos iguais porque não recebe auxilio moradia ? | Denuncie |

Autor: zeze filho
Engraçado que para os deuses do judiciário (magistrados) tudo e para os servidores nada x nada. Quando é que os quintos vão ser liberados por Gilmar Mendes para votação do mesmo. Esse direito precisa ser respeitado na justiça que faz justiça onde servidores estão até hj sendo injustiçados. | Denuncie |

Autor: jose silva
tomara que acabe mesmo e que seja extensivo ao legislativo, o salário que ganham já é exorbitante levando-se em conta a média salarial do povo brasileiro que é uma merreca | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas