política
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

"Brasil é um grande país do século 21", diz Hollande em Brasília O presidente da França visitou as futuras instalações do Colégio Franco-Brasileiro de Brasília, no Lago Sul

Agência Brasil

Publicação: 12/12/2013 11:33 Atualização: 12/12/2013 12:27

Presidente da França, François Hollande (Breno Fortes/CB)
Presidente da França, François Hollande

Em primeiro compromisso oficial no Brasil, na manhã desta quinta-feira (12/12) o presidente da França, François Hollande visitou as futuras instalações do Colégio Franco-Brasileiro de Brasília, no Lago Sul. Bem humorado, ele circulou entre os convidados e posou para fotos com alunos da escola francesa que funciona há 33 anos na Asa Sul, região central da capital federal, e será substituída pela nova instituição.

Ao discursar por cerca de dez minutos, em francês, Hollande ressaltou as possibilidades de troca entre brasileiros e franceses com a inauguração do colégio. Ele destacou que as escolas franceses em todo o mundo - cerca de 300 - funcionam como vitrine da cultura francesa e são instituições de excelência. O presidente francês também destacou a vocação brasileira para o futebol e disse que gosta de vir ao país por ser fã do esporte.

O evento, que durou aproximadamente 40 minutos contou com a participação do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT). Também presente à solenidade, o deputado da França, Eduardo Cypel enfatizou a importância da visita de Hollande ao país. Brasileiro naturalizado francês, ele disse que a França "tem que tratar o Brasil de igual para igual".

Leia mais notícias em Política

"A parceria entre Brasil e França é muito estratégica, porque o Brasil é um grande país do século 21. As relações são muito firmes e têm que avançar ainda mais", ressaltou.

Em obras, o Colégio Franco-Brasileiro de Brasília tem previsão de inauguração em setembro de 2014, quando começa o ano letivo na França. Inicialmente, deverá contar com 800 alunos, mas a expectativa é que as matrículas sejam ampliadas para mil até 2016. A instituição que ocupará um terreno de 15 mil metros quadrados(m2), sendo 8 mil (m2) de área construída terá turmas desde o maternal até o Ensino Médio. O terreno foi comprado pelo governo francês por 5,5 milhões de euros (R$ 15 milhões) e a construção está orçada em R$ 22 milhões. Além dos novos alunos, a instituição também receberá cerca de 450 estudantes de 27 nacionalidades da escola francesa da Asa Sul, que será desativada. Entre estes alunos, 51% são brasileiros ou franco-brasileiros.

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: paulo moreira do nascimento
Ele quer é vender os caças franceses "Hafale" para o Brasil. | Denuncie |

Autor: Silvia Silva
Pensei que a segregação viesse das mensalidades de mais de 3 mil reais... | Denuncie |

Autor: antoniel santos
a questão não é somente a segregação espacial ... mas também a SEGREGAÇÃO SOCIAL !!!! Porque Brasília, o faz todos dias em proporcionar cultura, crescimento pessoal somente a quem tem condições de pagar por tal !!! | Denuncie |

Autor: alvailton santos
Brasil grande país do seculo 21, esta matando a juventude, sem escola de nível, sem educação sem saúde com a corrupção a solta levando o seculo 21 no bolso, a impunidade aos corruptos, que quando condenados tem tantas regalias bancada pelo estado que parece coisa de cinema. | Denuncie |

Autor: Horst Mohn
Renho até medo de perguntar onde vai funcionar esta escola. Será que o governo francÊs irá seguir os passos do norte-americano, que implantou uma segregação espacial na cidade ao construir a Escola Americana próximo ao meio do mato, no início da Asa SUl? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.