política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Compra de caças franceses para FAB só deve ocorrer a partir de 2016 Por causa das eleições no ano que vem, franceses da comitiva de François Hollande avaliam que a definição da empresa fornecedora dos 36 supersônicos ficará para 2016

Paulo Silva Pinto

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Publicação: 13/12/2013 06:00 Atualização: 13/12/2013 01:10

Hollande recebe os cumprimentos de Dilma no Planalto: programa de cooperação em discussão
 (Breno Fortes/CB/D.A Press)
Hollande recebe os cumprimentos de Dilma no Planalto: programa de cooperação em discussão


A presença do presidente François Hollande ontem em Brasília, com uma agenda dominada por assuntos na área de tecnologia e educação, serviu também como oportunidade para insistir na venda do caça Rafale para a Força Aérea Brasileira (FAB). Mas a escolha dos 36 novos supersônicos dificilmente será decidida antes de 2016, na avaliação de alguns dos franceses que acompanham o processo.

A compra dos aviões militares não está prevista no Orçamento do próximo ano, o que poderia ser contornado. Há outra razão mais importante para riscar 2014 do calendário: tem disputa eleitoral, momento desfavorável a grandes decisões em qualquer país. Em 2015, o processo poderá ser retomado. E então será preciso refazer as ofertas, já defasadas. Em 2009, a decisão estava muito perto de ser tomada pelo então presidente, Luiz Inácio Lula da Silva.

O Ministério da Defesa apresentou três finalistas, o Rafale F.3, de um consórcio liderado pela Dassault; o norte-americano F/A-18, da Boeing; e o sueco Gripen NG, da Saab. Cabe ao Planalto bater o martelo. Depois de tanto tempo, será necessário negociar acordos de parceria local para a produção de componentes dos aviões, uma exigência do governo brasileiro, e refazer muitas contas. A demora no processo decisório desagrada à FAB, que pretende aposentar os antigos supersônicos Mirage 3000. Mas vários países, como Paquistão e Egito, seguem usando esses modelos.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: andre afm
O Brasil precisa investir na agricultura, na distribuição de renda, erradicação da pobreza, infraestrutura, saúde, educação... enfim tantas prioridades mais importantes do que comprar armas, depois deveria pensar nisso. | Denuncie |

Autor: Vinicius
Total falta de respeito com a Força Aérea, porque não falam logo que não vão mais comprar esses caças que há década estão dizendo que vão comprar e o pior de tudo é que são sucatas (F18 e o Rafale) sendo negociadas.... | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.