política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Governo adia programa de assistência médica a detentos após caso Genoino Com receio da repercussão na opinião pública diante dos problemas de saúde do ex-deputado na Papuda, governo suspendeu o lançamento do programa que amplia a assistência médica aos 550 mil detentos brasileiros

João Valadares

Publicação: 18/12/2013 06:00 Atualização: 18/12/2013 08:11

Entrada do Complexo Penitenciário da Papuda: juízes relatam clima de tensão no sistema prisional do Distrito Federal (Antônio Cunha/Esp. CB/D.A Press - 19/11/13)
Entrada do Complexo Penitenciário da Papuda: juízes relatam clima de tensão no sistema prisional do Distrito Federal

O lançamento da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional, que levaria os serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) aos 550 mil detentos brasileiros, estava previsto para 28 de novembro, mas acabou adiado para evitar constrangimento ao governo federal. A saia justa tem nome e sobrenome: José Genoino. Uma semana antes da data marcada para a solenidade, o ex-deputado petista, um dos condenados no processo do mensalão, deixou o Complexo Penitenciário da Papuda em 21 de novembro para ser atendido num hospital particular de Brasília. O assunto ganhou o noticiário e as redes sociais por vários dias. Muitas pessoas questionaram o motivo de o político não ter sido atendido pelo SUS. Fontes próximas ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, confirmam que o adiamento ocorreu exclusivamente por causa da polêmica envolvendo o petista.

Leia mais notícias em Política

Interlocutores da pasta ouvidos pelo Correio asseguraram que o governo avaliou que, se implantasse o programa em meio ao bombardeio provocado pelo Caso Genoino, seria mal interpretado e “pegaria muito mal”. A decisão do governo provocou mal-estar na coordenação de Saúde do Sistema Prisional, órgão responsável pela formulação e implementação da política. No fim de novembro, o governo federal não deu nenhuma explicação sobre o não lançamento na data prevista.

As novas diretrizes, que atualizam o obsoleto Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário, lançado há 10 anos, seriam divulgadas durante o II Encontro Nacional de Gestores de Saúde no Sistema Prisional, que ocorreu em Brasília. A agência de notícias do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) chegou a encaminhar release convidando para o lançamento.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.