política
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Economia de R$ 27,3 milhões após fim dos extras vira gasto de R$ 43,2 mi A notícia de que a cota de atividade parlamentar, já aumentada no início do ano, ganharia mais um aporte de R$ 16 milhões anuais, provocou a reação de entidades civis

Adriana Caitano

Publicação: 20/12/2013 09:25 Atualização: 20/12/2013 14:16

O Congresso Nacional terminou o ano de 2013 exatamente como começou: pensando cada vez mais no próprio bolso e cada vez menos no bolso dos cidadãos. Ao longo do ano, os parlamentares até deram esperanças para a população, ao extinguir, em fevereiro, o pagamento dos 14º e 15º salários, o que renderia uma economia de R$ 27,3 milhões anuais. Mas a mesma mão que tira é rápida em repor. E gerando gastos maiores ainda. As despesas criadas com a criação de mais 152 cargos comissionados e os reajustes feitos à cota de atividade parlamentar, em março e nesta semana, além do aumento do auxílio-moradia, somam R$ 43,2 milhões por ano. Ou seja, na prática, a Casa vai gastar R$ 21,6 milhões a mais do que desembolsaria se não tivesse havido a extinção dos salários extras.

A notícia de que a cota de atividade parlamentar, já aumentada no início do ano, ganharia mais um aporte de R$ 16 milhões anuais, provocou a reação de entidades civis. A decisão foi tomada na noite da última quarta-feira, quando os corredores do Congresso já estavam vazios com o início do recesso. “O parlamento brasileiro já é um dos mais caros do mundo porque cada um fica lutando para abocanhar um naco maior da verba pública. É um preço alto demais para o país pagar”, comenta o juiz Marlon Reis, um dos fundadores do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).

Leia mais notícias em Política

Ele lembra que, apesar do argumento da Câmara de que o aumento foi para compensar os acréscimos feitos nas passagens aéreas, os gastos extras aprovados não se justificam. “Ano que vem tem eleições, eles quase não vão ficar no Congresso mesmo, então vão ficar fazendo campanha com cotas mais generosas”, destaca. O diretor executivo da ONG Transparência Brasil, Claudio Abramo, diz não se surpreender mais com ações que elevam os gastos do Congresso. “Essa cota nem deveria existir, quanto mais nesse montante. Esse dinheiro só serve para eles fazerem proselitismo deles próprios”, afirma.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: Francisco Lima
Papuda neles!!!!! | Denuncie |

Autor: José Ferreira Ferreira
Complementando, Eu tomei uma raiva tão grande de políticos, que só de pensar neles me dar alergia. Vou pagar a multa de R$ 3,51 para não votar nessa corja. | Denuncie |

Autor: José Ferreira Ferreira
Esses "políticos" não dão murro em ponta de faca, são todos cobras criadas. Estão pouco se lixando para os eleitores, querem é se dar bem, o resto é que se explodam. Quem trabalha e articula/decidem na calada da noite, com certeza não estão com boas intenções. Eu tomei uma raiva tão grande de polític | Denuncie |

Autor: Eli Soares
Muito vergonhoso, mesmo! Até porque não produzem o necessário para justificar tamanha gastança. Causa indignação. | Denuncie |

Autor: Leandro Lara
Vergonhoso! Respeito à população zero! E infelizmente a solução está nas mãos do povo, que nada irá fazer... | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.