política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Gleisi Hoffmann quer deixar o cargo na Casa Civil no fim do próximo mês Pré-candidata ao governo do Paraná, a ministra negou que esteja com os planos para campanha em andamento. "Não tem uma decisão tomada ainda", disse

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Publicação: 27/12/2013 12:59 Atualização: 27/12/2013 16:43

Ministra-chefe da Casa Civil Gleisi Hoffmann (Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)
Ministra-chefe da Casa Civil Gleisi Hoffmann

A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse nesta sexta-feira (27/12) que pretende deixar o cargo no fim do próximo mês. Pré-candidata ao governo do Paraná, a ministra negou que esteja com os planos para campanha em andamento. “Não tem uma decisão tomada ainda”, disse. Segundo ela, a decisão será tomada apenas quanto ela deixar o governo. “Não quero misturar enquanto ainda estiver aqui”, acrescentou.

O ideal, segundo ela, seria se despedir do governo em janeiro para amadurecer a ideia. A ministra disse ainda que, quando a data de sua saída for decidida, ela vai colaborar na transição das funções para o substituto.  O martelo, entretanto, só será batido pela presidente Dilma Rousseff. Na semana passada, a presidente prometeu terminar a reforma ministerial até o fim do Carnaval, em março.

Leia mais notícias em Política

Durante conversa com jornalistas, a ministra falou sobre o sucesso de ações do governo em relação às concessões de rodovias, ao programa Mais Médicos e ao diálogo com a população, durante as manifestações de junho. Como ministra, Gleisi disse que gostaria de deixar o governo com licitações de ferrovias e portos realizadas, o que não ocorreu.

Gleisi disse que o ano foi de muitos desafios para o governo e para o Brasil, com uma crise econômica que afetou não só o país, mas também seus principais parceiros comerciais. Ela acredita, no entanto, que o país conseguiu dar respostas efetivas a esses desafios com investimentos e atração de mais parceiros.

“Conseguimos fechar o ano com bom balanço na nossa empregabilidade, com o menor índice de desemprego da nossa história. Ampliamos créditos e programas para nossa agricultura e mantivemos e ampliamos nossos programas sociais”, disse a ministra.

Em relação às manifestações de junho pela melhoria dos serviços públicos – como transporte nas grandes cidades, a ministra disse que Dilma exercitou a coragem e apresentou resposta consistente para responder aos pleitos da população. “A presidenta exercitou a coragem ao fazer um diálogo franco, aberto com a população, com as manifestações, e os pactos que ela apresentou vão responder às reivindicações”.

Sobre um dos programas mais polêmicos criados em resposta às manifestações, para ampliar o atendimento de saúde básica no interior do país e periferia das grandes cidades, Gleisi disse que o Mais Médicos é uma resposta imediata a um problema grave. “Não é a resposta de todos os nossos problemas e nem é a resposta mais estruturante, mas é uma resposta consistente e imediata a um problema grande que é a falta de profissional para atender a população”.


(Com informações da Agência Brasil)

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: danie rodrigues cruz
E A POPULAÇÃO TEM MONITORAR OS PROGRAMAS DOS ESTADOS PRINCIPALMENTE OS DE SP E MG,COM CERTEZA TERÁ MUITAS SURPRESAS COM O TAMANHO DO ROMBO QUE ENCONTRARÃO,DEVERÁ SER MAIOR QUE O TRENSALÃO... | Denuncie |

Autor: danie rodrigues cruz
ESSE GOVERNO DE MINAS GERAIS É MESMO CARA-DE-PAU...NO ESTADO QUE É O 2º MAIS RICO DA FEDERAÇÃO,O CARA-DE-PAU NÃO TEM UM CENTAVO PARA INVESTIR NOS POBRES,COM CERTEZA O DINHEIRO É TODO PARA AJUDAR OS EMPRESÁRIOS LASCADOS E QUEBRADOS.POR ISSO, QUE NÃO VAI CONCORRER AO GOV DO ESTADO,SERÁ O MAIOR FRACASSO | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.