política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

PSDB estuda aproximação com o PMDB, para reforçar o palanque de Aécio Decisão pode ser tomada apenas caso Bernardinho não aceite concorrer ao governo

Leandro Kleber

Andre Shalders - Correio Braziliense

Publicação: 16/01/2014 07:33 Atualização: 16/01/2014 08:33

A aliança partidária tem como objetivo dar palanque ao presidenciável tucano (Iano Andrade/CB/D.A Press)
A aliança partidária tem como objetivo dar palanque ao presidenciável tucano
Com a definição da maioria das candidaturas ao governo do Rio de Janeiro, o PSDB fluminense ainda corre contra o tempo e aguarda uma posição oficial do técnico Bernardinho, da seleção masculina de vôlei, para bater o martelo sobre quem representará os tucanos na disputa o Palácio Guanabara. Caso Bernadinho não confirme o nome na briga — a expectativa é que a questão seja definida até março —, uma das hipóteses levantadas nos bastidores seria de o PSDB se aliar ao PMDB para dar palanque ao presidenciável tucano, Aécio Neves.

Bernardinho declarou, na semana passada, que não será o nome tucano no pleito de outubro porque “não se sente capaz para assumir um cargo político”, apesar de ter se filiado ao PSDB em 2013 e de ser próximo de Aécio e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No entanto, os tucanos ainda tentam convencê-lo. Enquanto isso, do outro lado da trincheira, PT, PMDB, PR, PRB e DEM já têm os seus nomes, respectivamente: o senador Lindbergh Farias; o vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão; o deputado Anthony Garotinho; o ministro da Pesca, Marcelo Crivella; e o ex-prefeito carioca César Maia.

Leia mais notícias em Política

“O PSDB trabalha apenas com o plano A: a candidatura de Bernardinho. Ele é o perfil ideal, de alguém que vem da sociedade, sem nenhum desgaste. Ninguém jogou a toalha em relação a isso”, afirma o presidente do PSDB fluminense, deputado estadual Luiz Paulo Corrêa. Ele e o deputado federal Otavio Leite negam que a legenda vá se aliar a outro partido. “Em meio a especulações em função de atritos entre PT e PMDB, surge a possibilidade do Pezão até apoiar Aécio. Ainda temos que acompanhar o movimento do outro lado para ver o nosso. É ver para crer. Com certeza, teremos candidato”, acrescentou Leite.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.