política
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Justiça de Minas Gerais bloqueia bens do senador Zezé Perrella Ele e o filho, Gustavo Perrella, são sócios de uma empresa que teria feito contratos sem licitação com o governo do estado

Agência Brasil

Publicação: 22/01/2014 18:09 Atualização:

A Justiça de Minas Gerais determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do senador Zezé Perrella (PDT-MG) e do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG), filho dele. Ambos são sócios de uma empresa que teria feito contratos sem licitação com o governo do estado, segundo o Ministério Púbico de Minas Gerais (MP-MG).

Perrella negou que tenha ocorrido qualquer irregularidade (Jair Amaral/EM/D.A Press)
Perrella negou que tenha ocorrido qualquer irregularidade

Atendendo pedido do MP, a juíza Rosimere das Graças do Couto, da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual e Autarquias de Belo Horizonte, entendeu que medidas solicitadas pelo Ministério Público devem ser aceitas para garantir a investigação do processo instaurado e o eventual ressarcimento aos cofres públicos. A magistrada determinou que os cartórios de Registros de Imóveis e o Detran façam o bloqueio dos bens até o limite de R$ 14,58 milhões, valor dos desvios apontados na denúncia.

Leia mais notícias em Política

“Estou a entender que, de fato, diante da existência de indícios da prática da atos de improbidade administrativa, justifica-se a decretação da quebra de sigilos bancários e fiscal para que sejam informadas as movimentações financeiras existentes daqueles que, em tese, direta ou indiretamente, possam estar envolvidos na prática dos supostos ilícitos”, decidiu a juíza.

Em nota divulgada à imprensa, o senador negou que tenha ocorrido qualquer irregularidade nos contratos e afirmou que vai recorrer da decisão. “O senador Zezé Perrella está totalmente tranquilo, uma vez que todo o procedimento realizado, entre a empresa de sua família e a Epamig, sempre esteve pautado nas normas legais aplicáveis, não havendo qualquer ilegalidade que denote improbidade administrativa, conforme será demonstrado ao longo do processo”, diz a nota.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: José A. S. Neto
ENGRAÇADO ! - - RACIOCINEMOS ! Em um contrato tem, no mínimo duas parte, contratado e contratante. Se o contrato é ilegal, ao meu ver, estas duas partes passam a ser CORRUPTO e CORRUPTOR. Então, cadê a punição para a outra parte ? ? ? ? - - Seria porque o governo mineiro é do PSDB ? ? ? ? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas