política
  • (5) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Medida provisória amplia auxílio-moradia para servidores públicos Funcionalismo também terá direito a exame médico periódico

Ana D'Angelo - Correio Braziliense

Grasielle Castro - Correio Braziliense

Publicação: 29/01/2014 07:41 Atualização: 29/01/2014 07:51

O governo federal incluiu na Medida Provisória nº 632, editada na véspera de Natal e que está no Congresso, duas mudanças para o funcionalismo que aumentam os gastos públicos e uma terceira que chega com 10 meses de atraso para limitar uma antiga regalia. A primeira acaba com o prazo-limite de oito anos para o recebimento de auxílio-moradia pelos servidores federais efetivos e os nomeados sem vínculo com a administração pública dos Três Poderes, que assumem cargo comissionado em outra cidade. Desde o fim de dezembro, o benefício passou a ser por tempo indeterminado, até que o funcionário volte para casa ou compre um imóvel para morar.

Na Esplanada dos Ministérios, a informação é de que a liberação do auxílio foi feita sob medida para abrigar os apadrinhados do governo do PT que passaram a ocupar cargos comissionados, principalmente em Brasília. O partido está no poder há 13 anos. Porém, como se trata de mudança na Lei 8.112, o fim do prazo máximo de oito anos também passa a valer para os servidores dos demais Poderes e do Ministério Público Federal. O Executivo diz não saber informar o total de beneficiados com auxílio-moradia, pois a concessão fica a cargo de cada órgão.

Leia mais notícias em Política

Na mesma MP, originalmente para tratar de reajustes salariais acordados para algumas categorias, o governo decidiu oferecer exames médicos periódicos para todos os mais de 1,3 milhão de servidores da União, serviço em geral já previsto nas coberturas dos planos de saúde custeados pelos cofres públicos. Para isso, autorizou todos os órgãos da União a fazerem um contrato com operadoras de planos de saúde de autogestão, que podem ser as que já prestam esses serviços aos servidores.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (5) comentários

Autor: Adeilsa Sekisugi
como sempre os parasitas do governo saem ganhando. | Denuncie |

Autor: Sergio Pinto
E os militares das Forças Armadas continuam esquecidos. São obrigados a mudar quase que de dois em dois anos, muitas vezes para locais com alugueis absurdamente altos, mas não recebem qualquer auxílio moradia. É assim, aos pouquinhos, que se destrói as Forças Armadas. Parabéns políticos! | Denuncie |

Autor: Rafael
O Executivo não sabe ou não quer informar o total de parasitas que recebem mais esse auxílio? E a transparência? | Denuncie |

Autor: cleber souza
Esse auxílio-moradia não é para servidores, é para companheiros, mas a sociedade não se interessa por esse tipo de assunto, os cofres públicos são tungados dia após dia, mas o futebol e a novela parecem mais importantes... | Denuncie |

Autor: Fabrício Reis
O pagamento de exames periódicos tem o custo menor do que o pagamento de afastamentos de servidores por motivos de doença, que poderiam ser prevenidos com simples exames de rotina. Concordo. Muita empresas privadas tbm usam essa metodologia. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.