política
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

José Dirceu organiza empréstimos de livros na biblioteca da Papuda Dois meses e meio depois da prisão, envolvidos da Ação Penal 470 estão integrados ao dia a dia do cárcere.

Renata Mariz

Publicação: 02/02/2014 08:01 Atualização:

Entrada do Complexo Penitenciário da Papuda: 10 mensaleiros já conseguiram transferência para outras unidades (Daniel Ferreira/CB/D.A Press - 6/12/13)
Entrada do Complexo Penitenciário da Papuda: 10 mensaleiros já conseguiram transferência para outras unidades

De segunda a sexta-feira, durante cinco horas, José Dirceu, hoje um dos cerca de 10 mil presos do Complexo Penitenciário da Papuda, fica na biblioteca do estabelecimento. O trabalho de organizar, catalogar e controlar o empréstimo de livros tem duas finalidades claras para o ex-ministro da Casa Civil: aplacar o ócio peculiar da cadeia e descontar um dia de pena a cada três de labuta. Já para a administração do presídio, a nova ocupação de Dirceu, que antes estava varrendo um pátio da unidade, traz outros benefícios. Fontes ouvidas pelo Correio afirmam que a mudança de serviço é resultado da necessidade de diminuir a visibilidade do preso notório em relação à massa carcerária.

Leia mais notícias em Política

Desde dezembro, Dirceu desempenhava a função de varrer o pátio do Centro de Internamento e Reintegração (CIR), onde estão dois condenados no processo do mensalão apenas em regime semiaberto. Enquanto trabalhava na limpeza do espaço, podia ser visualizado por detentos. A postura humilde adotada pelo ex-todo-poderoso do Planalto desde que chegou ao cárcere, em 15 de novembro passado, aliada ao serviço braçal exercido por mais de um mês, despertava uma empatia natural nos demais presos em relação a Dirceu. Com as vestes brancas e chinelos de dedo, ele se tornava parte da massa, como outro apenado qualquer, dizem servidores.

Só que presos célebres, com talento para influenciar com poder econômico, em qualquer sistema penitenciário do mundo, devem ser mantidos a uma distância profilática do resto da população carcerária. Em 24 de janeiro, Dirceu saiu da limpeza do pátio para lidar com os livros. Na biblioteca, ele estabelece contato com uma parcela menor de detentos. São geralmente apenados que, por estudarem dentro do estabelecimento, circulam com mais flexibilidade pela área de ensino. Eles costumam ler livros no espaço onde Dirceu dá expediente das 9h às 11h30 e das 13h às 15h30. Não há trabalho no dia de visita, às quartas-feiras, quando o ex-ministro recebe a mulher, familiares e amigos.

 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Helga
Já que ele é tão habilitado assim coloquem ele pra revisar processos ou cuidar da contabilidade. Deu muito certo no Um sonho de liberdade. | Denuncie |

Autor: CH KILL
tomem cuidado com os livros caros, pois vão sumir em breve!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas