política
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Campos e Marina lançam nesta terça prévia do programa de governo As diretrizes do programa de governo de Eduardo Campos e Marina Silva estão programadas para divulgação na Câmara dos Deputados

Iracema Amaral

Publicação: 03/02/2014 14:57 Atualização:

Campos é virtual candidato à Presidência da República e Marina deve assumir a candidatura a vice-presidente (Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press)
Campos é virtual candidato à Presidência da República e Marina deve assumir a candidatura a vice-presidente

Os pré-candidatos Eduardo Campos e Marina Silva prometem para esta terça-feira (4/2) as diretrizes para o programa de governo da aliança do PSB e Rede. Campos é virtual candidato à Presidência da República e Marina, que ficou sem partido oficial (a Rede Sustentabilidade), precisando migrar para o PSB, deve assumir a candidatura a vice-presidente. A linha mestra para o plano de governo está programada para ser anunciada no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, em Brasília.

O anúncio do arcabouço das propostas de governo de Campos e Marina está sendo montado desde novembro do ano passado com o lançamento de uma plataforma digital. Batizada de “Mudando o Brasil”, o espaço virtual recebeu, segundo os organizadores, mais de 1.700 contribuições dos internautas.

O presidenciável Eduardo Campos adiantou, no último dia 13, em Olinda, Pernambuco, que o documento apontará uma direção a ser seguida pela coligação PSB e Rede Sustentabilidade. "Qual é a nossa análise do momento em que o mundo passa, que o Brasil passa? Qual é a nossa visão de futuro, qual é a estratégia de desenvolvimento que se faz mais adequada, qual a aliança política necessária para suportar um padrão como esse?", disse Campos, indicando os temas que estão sendo discutidos pela aliança PSB/Rede.

Campos destacou ainda que o documento que será divulgado amanhã terá um caráter geral, que vai orientar os debates sobre pontos específicos. "Servirá para que a gente não faça os debates setoriais descolados de uma concepção de caráter geral", declarou. "Se você soltar para discutir o setorial sem uma visão de caráter geral, quando voltar, você não emenda, não consegue sistematizar", explicou.

Leia mais notícias em Política

Tática eleitoral

Também de acordo com Campos, após a apresentação, o documento será levado ao PPS e ao PPL para debate. As duas legendas não participam da formulação do programa base porque só anunciaram apoio ao PSB após o início dos trabalhos. "A partir daí, vamos para o programa (de governo) mesmo, para que a gente chegue ao final de junho com o programa, com as respostas objetivas que cabem a um programa", disse o governador.

A estratégia eleitoral e as candidaturas estaduais também serão definidas somente após a finalização do documento.."Fechado esse documento de conteúdo, a gente acerta a tática eleitoral", afirmou Campos. "A tática eleitoral tem que responder ao conteúdo", disse ele.

"Tem tempo para fazer (a estratégia), deve ser ao longo de fevereiro, para depois descer para os Estados", afirmou. "Vamos munidos das diretrizes do programa e da tática eleitoral para discutir Estado a Estado", declarou o governador pernambucano. ( com agências)

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas