política
  • (8) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Médica cubana que pede refúgio ao Brasil trabalhará no DF temporariamente A profissional que abandonou o Mais Médicos começa no novo trabalho na semana que vem. DEM quer audiência com ministras para defender os direitos da estrangeira

Adriana Caitano

Publicação: 08/02/2014 08:00 Atualização:

 (Iano Andrade/CB/D.A Press - 5/2/14)

A médica cubana Ramona Matos Rodríguez, que fugiu de Pacajá (PA), onde atuava pelo programa Mais Médicos, teve a carteira de trabalho emitida ontem na Delegacia Regional do Trabalho de Brasília. O documento servirá para que ela exerça uma função administrativa na Associação Médica Brasileira (AMB), a partir da próxima semana. Na segunda-feira, ela será ouvida na Procuradoria Regional do Trabalho para esclarecer o motivo de ter dito que foi “enganada” pelo governo de Cuba ao receber cerca de R$ 2,5 mil enquanto os demais profissionais estrangeiros ganham, pelo menos, R$ 10 mil na iniciativa. Ontem, o DEM pediu uma audiência entre a médica e a ministra de Direitos Humanos, Maria do Rosário, e a da Secretaria das Mulheres, Eleonora Menicucci.

A proposta de trabalho foi feita pela AMB na última quinta-feira. O órgão, que havia se posicionado contra o Mais Médicos na época do lançamento, em julho do ano passado, se dispôs a ajudar a cubana e a prepará-la para o teste do Revalida. Se ela for aprovada, poderá exercer a medicina no Brasil mesmo depois de ser desligada do programa do governo federal. Ramona é hoje refugiada provisória no país, graças ao requerimento entregue ao Conselho Nacional para os Refugiados (Conare) na quarta-feira. Não há data para que seu caso seja julgado — há na fila outros 1,5 mil pedidos de estrangeiros.

Enquanto o refúgio definitivo não é concedido, Ramona deve trabalhar. Ela também espera um retorno dos Estados Unidos. Na última segunda-feira, antes de procurar o DEM, ela registrou um pedido de asilo político na embaixada americana para participar do programa de amparo a médicos cubanos da ONG Solidariedade sem Fronteiras. “Eu só quero ser livre, aqui ou lá, mas, se o Brasil me der oportunidade, ficarei muito encantada”, diz a médica. Até lá, ela alugará um apartamento e se instalar na cidade — ela passou a noite de terça para quarta-feira na liderança do DEM na Câmara e, desde então, está hospedada no apartamento funcional do deputado Abelardo Lupion (DEM-PR).

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags: médica cubana

Esta matéria tem: (8) comentários

Autor: Silvio Rohden
É urgente desmascarar o PT, partido reacionário e ditatorial, e que se presta a implantar a ditadura cubana no Brasil, e isto é absolutamente inadmissível, somos uma nação de grandes significados sociais, acolhemos povos das mais variadas origens, e em razão disto jamais poderemos nos submeter a Cuba | Denuncie |

Autor: filomena rocha
Ela, certamente, sera' benvinda em muitos paiseds, um professional dA MEDICINA e' sempre benvindo, todavia, sera' melhor para ela esquecer os USA porque para exercer aprofissao aqui vai ter que fazer cursos de pelo menos 2 anos e se submeter a um teste rigoroso. O Brasil e' o melhor local para el. | Denuncie |

Autor: Tarcísio Silva
O preço da liberdade não é somente a "eterna vigilência", como afirmou Aldous Huxley; também é insurgir-se a opressão. Parabéns Doutora Romana Matos Rodriguez, pela sua coragem política de não mais aceitar ser escrava do regime comunista cubano. | Denuncie |

Autor: Marcelo Ss
Cuidado a policia cachorrinha do PT, vai prender e deportar a escrava cubana de volta a ilha-prisão dos ditadores assassinos comunistas. | Denuncie |

Autor: Deive Gonçalves
Éra evidente que esse tipo de fato,entre outros do gênero, iriam ocorrer. Desde o estado de natureza, o homem se nega, lógico, a aceitar qualquer forma de distinção entre semelhantes. Acreditar que os médicos cubanos aceitariam tal discrepância salarial em relação a outros médicos é e será um engano. | Denuncie |

Autor: Paulo Costa
Pq a M. do Rosário Exumação ao invés de gastar recursos do erário na montagem de farsas históricas, não verifica a violação de Direitos Humanos a que são submetidos os cubanos, ou será que cubanos não são humanos "vivos"? Afinal, sem direitos, sem salários, sem passaportes, sem família, traficados... | Denuncie |

Autor: Julio Cesar Reis Junior
É isso. Todo esse esquema foi feito para beneficiar o governo cubano. Os médicos vêem pouco dos R$ 10 mil. Em breve, seremos uma nova Cuba. Seremos pessoas subjugadas e com medo de falar. Os bons fugirão para os Estados Unidos. | Denuncie |

Autor: aparecida gomes
Mais médicos começa mostrar a sua cara. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas